Reprodução
Reprodução

Espanhóis iniciam campanha para apoiar torcedor acusado de racismo

Internautas dizem que acusado de ato racista tem sofrido criminalização exagerada

O Estado de S. Paulo

30 de abril de 2014 | 15h57

SÃO PAULO - Amigos do torcedor do Villarreal, da Espanha, acusado de jogar a banana em ato racista contra o brasileiro Daniel Alves começaram uma campanha reativa no Twitter. Pela #TodosSomosDavid, os internautas defendem David Campayo Leo, de 26 anos, e consideram que esteja existindo uma criminalização exagerada do ocorrido.

O torcedor espanhol foi detido nesta quarta-feira e solto logo depois de prestar depoimento. O ato racista cometido no último domingo, durante jogo do Campeonato Espanhol contra o Barcelona, pode levá-lo a três anos de prisão.

Nas mensagens postadas na rede, internautas defendem que existe pouca informação sobre o caso e que a campanha #SomosTodosMacacos é exagerada.

No último domingo, David Campayo Leo teria atirado uma banana no lateral-direito do Barcelona enquanto ele se preparava para cobrar um escanteio. Daniel Alves, ao avistar a fruta aos seus pés, tomou a decisão de descascá-la e comê-la, ação que foi idolatrada na Europa e, principalmente, no Brasil.

Neymar, companheiro de equipe de Daniel Alves, foi o responsável por disseminar uma campanha contra o racismo nas redes sociais. Em questão de minutos, outros jogadores e famosos colocaram fotos no Twitter e no Instagram num gesto de apoio à iniciativa.

Tudo o que sabemos sobre:
futinterfutebolracismoDaniel Alves

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.