Espanhóis tentam evitar euforia após boa estréia

O atacante Villa, autor de dois gols na vitória espanhola sobre a Ucrânia por 4 a 0, a maior goleada da Copa do Mundo da Alemanha até agora, evitou a empolgação pela boa estréia.?Não diria que esse resultado nos faz favoritos para o torneio, mas demos um bom passo?, disse, moderado. ?Queremos ficar com o primeiro lugar do grupo e só então ver o que vai acontecer depois.?Moderação é a palavra correta para definir o discurso do técnico Luis Aragonés. Perguntado se considerava a Espanha uma das candidatas ao título, declarou que não é o momento para tais conclusões. ?Várias equipes têm chances iguais e fizemos apenas nossa partida inaugural.?Insistiram: Mas o senhor concorda que a Espanha impressionou aqueles que não acreditavam em seu futebol? ?Não acho. Impressionar é uma palavra muito forte.? Para o treinador, equipes como Argentina, México e Itália também apresentaram qualidade em suas estréias e, segundo ele, é cedo para dizer quem largou na frente.Um pouco mais entusiasmado estava o atacante Luís Garcia. ?Nenhum de nós sonhava em ganhar de 4 a 0.? Em seguida, incorporou o discurso pés no chão: ?Mas não fizemos nada ainda, precisamos trabalhar duro.? Para fechar as entrevistas na zona mista do Zentralstadion, Puyol, xerife espanhol no setor defensivo, declarou: ?Nem éramos tão ruins quanto diziam nem somos tão bons agora. Temos de ser cautelosos.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.