Rodrigo Antunes/EFE
Rodrigo Antunes/EFE

Especulado no Atlético de Madrid, zagueiro Felipe se despede do Porto

Jogador, ex-Corinthians, vai ocupar o lugar de Godín na equipe espanhola

Redação, Estadão Conteúdo

27 de maio de 2019 | 18h33

Destaque do Porto nos últimos anos, o zagueiro brasileiro Felipe se despediu nesta segunda-feira do clube português. Especulado para se transferir ao Atlético de Madrid, que perdeu o uruguaio Diego Godín para a Inter de Milão, o ex-jogador do Corinthians usou as suas redes sociais para escrever uma emocionante carta de despedida aos companheiros, dirigentes e torcedores.

"Foram três anos vivendo intensamente azul e branco com uma nova família que construí e que ficará marcada para o resto da minha vida! Só tenho a agradecer a todos os funcionários do clube, diretoria, presidente, aos 'místers' e companheiros com quem convivi nesse período. Um enorme carinho a todos os adeptos que se manifestam aqui e àqueles que ficam horas esperando na porta do CT ou estádio. Meu muito obrigado pelo reconhecimento e por tudo que fazem por mim", escreveu Felipe.

Aos 30 anos, Felipe deixa o Porto depois de disputar 142 jogos, marcar 11 gols e conquistar dois títulos: o Campeonato Português de 2017/2018 e a Supercopa de Portugal de 2018. Ele chegou ao clube da Cidade do Porto em 2016 depois de se destacar no Corinthians, onde atuou por quase cinco anos e foi várias vezes campeão - inclusive da Copa Libertadores e do Mundial de Clubes da Fifa.

Felipe tinha contrato com a equipe portuguesa até 2021. O zagueiro teve a chance de ser convocado pela primeira vez para a seleção brasileira - foi chamado pelo técnico Tite para o amistoso contra El Salvador em setembro de 2018, quando o Brasil goleou por 5 a 0.

"O @fcporto me fez sentir em casa e viver grandes emoções, com conquistas, gols, duelos de Champions League, muita superação e entrega em campo... Virou o clube que mais defendi na minha carreira profissional e pude voltar a ser chamado para Seleção Brasileira e estrear representando meu país. Não há palavras para descrever o quanto aprendi e evoluí como pessoa. Desejo a maior sorte no futuro para os que ficam. Estarei na torcida e serei grato eternamente! Obrigado Malta", completou o brasileiro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.