'Espião', Hernanes pede cuidado com Pirlo e Balotelli

Só se fala em Fernando, volante que caiu nas graças de Felipão e que será titular na partida da seleção brasileira contra a Itália, às 16h30 desta quinta-feira, em

ALMIR LEITE, Agência Estado

21 de março de 2013 | 09h34

Genebra. Mas outro volante, Hernanes, também terá uma chance e tanto de se firmar na equipe. Após ser cortado da partida contra a Inglaterra por causa de um choque na cabeça que sofreu num jogo pela Lazio dias antes de se apresentar, ele voltou a ser chamado e ganhou a preferência do treinador.

Hernanes entende que, por jogar no futebol italiano, pode colaborar bastante com a equipe hoje. "Eu conheço como eles jogam. É um jogo bem definido, com três zagueiros e o Pirlo tem muita qualidade, não pode deixar ele pensar, senão faz a diferença. Tem também o Balotelli na frente. É uma equipe perigosa", analisou o "espião" brasileiro no futebol italiano.

Ele iria conversar com os companheiros sobre o que conhece da Itália e, durante o jogo, pretende dar orientações sobre posicionamento. Aos atacantes, por exemplo, pediu movimentação constante. "A Itália tem uma zaga muito boa, os zagueiros são muito fortes e ninguém pode ser ponto de referência para eles."

Sobre sua função e a de Fernando, em campo na partida que será realizada no Stade de Genève, Hernanes acredita que não vai ter maiores dificuldades. "Eu estou crescendo, evoluindo e espero ajudar a seleção. O Felipão pediu para a gente uma consistência defensiva, porque armou um time bastante ofensivo e não quer a defesa desguarnecida."

Isso, porém, não quer dizer que os dois volantes terão de ficar "presos" o tempo todo. "A gente pode chegar lá na frente de vez em quando, mas sem essa ânsia de querer ser artilheiro, já que temos jogadores para resolver isso (fazer gols)", disse Hernanes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.