Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Martin Bureau/ AFP
Martin Bureau/ AFP

'Esporte não será prioridade' durante o desconfinamento, diz governo francês

Ministra dos Esportes, Roxana Maracineanu, destacou que várias competições podem ser realizadas com portões fechados

AFP, O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2020 | 20h40

O esporte não será uma prioridade para o governo francês nos planos de desconfinamento, alertou nesta quarta-feira a ministra dos Esportes, Roxana Maracineanu, que destacou que várias competições podem ser realizadas "com portões fechados" ou "com restrições muito rígidas" para os espectadores.

"O certo é que o esporte não será uma prioridade em nossa sociedade. Hoje não é uma prioridade nas decisões tomadas pelo governo", explicou Maracineanu ao canal Eurosport, no momento em que o país, assim como outros na Europa afetados pela crise do novo coronavírus, se preparam para o desconfinamento da população.

Em pleno debate sobre as propostas para a retomada dos campeonatos de futebol e rugby, a ministra acrescentou que essas competições não serão realizadas novamente se "não houver máscaras suficientes ou se, como ocorre atualmente, os testes ainda estiverem reservados para pessoas com sintomas" da doença.

O ministro também revelou que os atletas terão a última palavra no que se refere à volta às atividades e que terão o direito de renunciar se não existirem as condições necessárias.

Na terça-feira, o sindicato dos futebolistas pediu o cancelamento definitivo da temporada de futebol da Ligue 1 devido à falta de garantias de saúde para os jogadores.

Maracineanu admitiu, no entanto, que "as coisas podem mudar entre agora e 11 de maio", data anunciada pelo governo francês para começar a aplicar o desconfinamento.

A ministra declarou que estão sendo estudados vários cenários sobre uma retomada das competições, incluindo o de dar todos os campeonatos como encerrados "para começar de novo na próxima temporada" em setembro e que, em qualquer caso, os eventos serão disputados "com portões fechados ou com restrições muito estritas para o número de espectadores presentes".

Em relação a dois dos principais eventos esportivos do calendário francês, Roland Garros e o Tour de France, remarcados para o mês de setembro, Maracineanu garantiu que espera que eles possam ser realizados nessas novas datas "no cenário ideal que imaginamos", embora não tenha descartado sua anulação definitiva

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.