Esposa grávida sofreu com punição, diz Rodrigo Souto

Liberado pela Fifa para jogar no Brasileirão, o volante Rodrigo Souto, do Santos, chorou durante entrevista coletiva nesta sexta-feira, ao lembrar do sofrimento de sua família quando foi detectado no exame antidoping. "Quem mais sofreu foi a família. Minha mulher, que estava grávida, viu a notícia na imprensa e me ligou desesperada. Com os familiares é mais pesado um fato como esse, porque eles estão sempre nos acompanhando". O jogador afirmou que o sofrimento que passou serve de lição. "Para mim e para muita gente. Não é a primeira vez que isso acontece, mas ninguém sabe como acontece". O volante também falou que está motivado para jogar neste domingo contra o Cruzeiro, na Vila Belmiro. Souto poderá jogar o Brasileirão, mas não poderá participar de competições promovidas pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol).A Fifa acolheu, em parte, o pedido de absolvição que os advogados do atleta apresentaram há cerca de um mês na entidade e na Corte Arbitral do Esporte (CAS). Agora, o jogador tem esperança de que seja liberado também da punição imposta pela Conmebol.Rodrigo Souto foi julgado e punido com suspensão por dois anos pela Conmebol, após ter sido pego no exame antidoping do jogo entre Santos e San José, pela fase de grupos da Libertadores, no dia 19 de março, em Oruro. Na análise de sua urina foi encontrada a substância benzoilegonina, principal derivado da decomposição da cocaína.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.