Esquema 3-5-2 aprovado no Palmeiras

O esquema 3-5-2 passou no teste. Essa é a avaliação feita por Estevam Soares. O técnico palmeirense gostou da postura de sua equipe no segundo tempo da vitória sobre o Juventude, domingo, em Caxias. E disse que está propenso a manter o 3-5-2 para enfrentar o Atlético-PR, sábado, no Parque Antártica. "A tendência é manter o esquema, até porque o Atlético conta com um poder ofensivo muito grande, apesar da contusão do Dagoberto (que ficará pelo menos cinco meses parado por causa de uma ruptura nos ligamentos do joelho esquerdo)".Estevam disse também que sua maior dúvida está no meio-de-campo, entre Marcinho e Claudecir, que não enfrentou o Juventude porque estava suspenso. O técnico deixou claro também que assim que Elson se recuperar de uma inflamação no joelho direito, volta ao time titular no lugar de Diego Souza. "O Diego poderia ter rendido mais, devia ter tentado participar mais do jogo", criticou Estevam. Para o técnico, aliás, este tem sido o maior problema de toda a equipe. "Nossos jogadores têm ficado muito estáticos. Tem que ser mais vivo em campo. Não pode tocar a bola e ficar parado. Tem que tocar e correr, dando opção para receber".Sobre o 3-5-2, os jogadores disseram se sentir "mais à vontade" em campo. "Nesse esquema, se eu perder a bola, posso ficar tranqüilo, pois sei que tenho uma cobertura por trás de mim", disse o lateral Lúcio."As pessoas falam que esse esquema é retranqueiro. Mas foi no 3-5-2 que o São Paulo ganhou quatro seguidas e agora até fala em título no Brasileiro", emendou o volante Magrão.

Agencia Estado,

18 de outubro de 2004 | 19h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.