Estádio de Mogi é o melhor do interior

Depois de quatro anos, o Campeonato Paulista pode voltar a conhecer seu campeão no interior do Estado. O clássico Santos e São Paulo, que define o título em caso de empate ou vitória são-paulina, tem a marca do que os "caipiras" têm de melhor em termos de estrutura: o Estádio Wilson Fernandes de Barros, em Mogi Mirim (SP).Há anos este é o melhor e mais bem conservado estádio do interior, tanto em termos de estrutura como de gramado. A pintura está sempre em bom estado, os banheiros são mantidos limpos. Enquanto isso, os estádios Brinco de Ouro, em Campinas, Teixeirão, em São José do Rio Preto e Eduardo José Farah, em Presidente Prudente, são vítimas da ação do tempo e não têm manutenção à altura.O "Wilsão", como é apelidado na cidade, é como um xodó do presidente do Mogi Mirim. Ele também se viu no direito de perpetuar seu nome no estádio, em detrimento do ex-prefeito Vail Chaves, quando realizou uma reforma geral em 1996, como recompensa da venda de um pacote de jogadores revelados no famoso Carrosel Caipira, que contava com Rivaldo, Válber e Leto. Parte do dinheiro foi empregado na construção de quase toda a arquibancada que hoje é capaz de acomodar 19.900 torcedores. No início deste ano, a tribuna de imprensa também passou por reformas. Para manter ainda o gramado em perfeitas condições, é terminantemente proibido treinar em época de chuva. Para isso, o próprio presidente garantiu dois bons centros de treinamento, o de Mogi Guaçu e o CT de Limeira.As excelentes condições de acomodação do estádio animam os policiais militares que farão a segurança do jogo. Após uma vistoria no início da semana, o tenente-coronel Navarro, responsável pelo jogo, classificou o jogo como "de risco". No entanto , com o reforço garantido das PMs de São Paulo e Campinas, as preocupações diminuíram.Ao todo 5.900 ingressos foram colocados à venda para a torcida são-paulina, enquanto os torcedores do Santos, mandante do jogo, têm direito a 11.100 lugares. O total de 17 mil bilhetes é inferior em 2.900 lugares à capacidade total, medida tomada pela Federação Paulista de Futebol para aumentar a segurança e oferecer maior comodidade ao público.Cerca de 60% do estádio, à esquerda das cadeiras, ficará para os santistas, que entram pela entrada principal. Os torcedores do São Paulo entram pelos portões dos visitantes, tendo cerca de 40% dos lugares, à direita das tribunas, para se acomodar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.