AFP
AFP

Estádio de time sérvio é interditado após brasileiro ser alvo de racismo

Campo do Rad foi palco de ofensas contra Everton Luiz, do Partizan Belgrado

Estadao Conteudo

21 Fevereiro 2017 | 11h38

A Federação Sérvia de Futebol agiu rápido após o caso de racismo contra o brasileiro Everton Luiz, do Partizan Belgrado, e interditou por tempo indeterminado o estádio do Rad, da mesma cidade, onde as cenas de racismo foram protagonizadas no domingo. O Rad se diz vítima de uma campanha midiática sem precedentes e culpa o meio-campista brasileiro.

Imagens que circularam por todo o mundo no domingo mostram Everton Luiz se dirigindo à torcida da casa após o fim do jogo - vitória do Partizan por 1 a 0 - mostrando o dedo do meio. Uma pequena confusão se forma, com os jogadores rivais tirando satisfação. Depois, o brasileiro é consolado pelos colegas e chora.

"Durante toda a partida fui chamado de macaco, além dos gestos imitando o animal. O som ficava ainda mais forte quando eu estava mais próximo. Chorei, sim, mas chorei de raiva e indignação. Os jogadores rivais compactuaram com estes ataques ao defenderem os torcedores, se é que podemos chamá-los assim. Ao invés de me proteger, me atacaram ainda mais", reclamou o jogador brasileiro.

Ele cobrou mudanças de mentalidade. "Temos de nos fortalecer enquanto família, amigos, seres humanos. Não é possível que uma pessoa encontre a felicidade tentando diminuir o outro. É muito triste."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.