Estádio do Bragantino continua interditado

Se depender do juiz Jorge Tosta, da comarca da cidade de Bragança Paulista, o Bragantino só voltará a atuar diante de sua torcida depois que completar todas as reformas necessárias para adequar o estádio Marcelo Stéfani às normas de segurança estabelecidas pela Polícia Militar. A diretoria do clube, porém, espera a liberação para o próximo jogo, dia 8 de fevereiro, diante do São José, pela terceira rodada do Campeonato Paulista da Série A2.O juiz tomou sua decisão no último fim de semana, impossibilitando a entrada da torcida no jogo em que o time da casa perdeu para o São Bento, por 1 a 0, realizado com os portões fechados. Só a imprensa e alguns poucos dirigentes dos dois times viram o jogo. Segundo Jorge Tosta, a proibição atendeu pedido do Ministério Público depois de inspeção feita pela PM no estádio em janeiro. Ele também confirmou que os incidentes ocorridos ano passado no jogo contra o Santo André, pelo Campeonato Brasileiro da Série C, também pesaram bastante. Na ocasião, os torcedores do clube visitante nem conseguiram entrar no Marcelo Stéfani. "Por isso mesmo, o estádio só será liberado com todos os requisitos atendidos", comentou o juiz.Já o presidente do Bragantino, Marco Chedid, garantiu ter sido pego de surpresa com a interdição. "A Polícia Militar não enviou ao clube nenhum laudo sobre segurança para que pudéssemos tomar providências", disse. Nesta segunda-feira, ele já esteve no comando do policiamento da cidade, mas ainda não encontrou o laudo que condenou o clube a ficar distante de sua torcida. Chedid, porém, avisou que não vai descumprir a ordem judicial. Ele admitiu que até tentou cancelar o jogo diante do São Bento, mas não conseguiu autorização por parte da Federação Paulista de Futebol. A saída alternativa, segundo ele, seria a liberação do estádio com a interdição parcial do setor de arquibancadas metálicas, localizada atrás de um dos gols. "O restante do estádio, com arquibancadas de concreto, comporta 12 mil pessoas. E nosso público médio é inferior a dois mil torcedores", explicou.O clube terá ainda que reembolsar os torcedores que adquiriram os ingressos antecipados. Segundo um cálculo preliminar, perto de 500 torcedores compraram um carnê promocional para ver os sete jogos do time na primeira fase da Série A2, ao preço de R$ 25,00.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.