Estádio do Paulista irá a leilão para sanar dívidas trabalhistas

Ação é consequência de uma série de dívidas trabalhistas que foram acumuladas pelo clube

Estadao Conteudo

27 de março de 2017 | 21h42

Lutando contra o rebaixamento na Série A3 do Campeonato Paulista, o Paulista de Jundiaí tem um problema de grandes proporções para resolver fora de campo. No próximo dia 27 de abril, o estádio Jayme Cintra irá a leilão na Sala de Leilões do Fórum Trabalhista de Campinas.

A ação é consequência de uma série de dívidas trabalhistas que foram acumuladas pelo clube e até hoje não foram acertadas. Em 2012, a diretoria deu o Jayme Cintra com garantia de uma dívida na casa dos R$ 1,4 milhão.

São ao todo 19 reclamantes, entre eles o Sindicato dos Empregados de Clubes Esportivos, além de Federação, Confederação e Academias Esportivas no Estado de São Paulo.

A penhora de estádios para pagamentos de dívidas trabalhistas se tornou corriqueira no Estado de São Paulo. Clubes importantes, que já estiveram na elite do Paulistão, como Guarani, Portuguesa e América também viram suas casas serem leiloadas.

Enquanto o Canindé (São Paulo) e o Teixeirão (São José do Rio Preto) não receberam lances, o Brinco de Ouro da Princesa já é propriedade do grupo Magnum. Mas só deve ser definitivamente cedido após a construção de uma arena para substituir o estádio.

Tudo o que sabemos sobre:
Futebolfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.