Estádio em Boston ficará lotado para jogo do Brasil

Quase 70 mil ingressos foram vendidos antecipadamente para jogo no moderno Gillette Stadium

GONÇALO JUNIOR - Enviado especial, Agência Estado

10 de setembro de 2013 | 12h05

BOSTON - O Gillette Stadium, palco do amistoso desta terça-feira entre Brasil e Portugal, em Boston, no estado de Massachusetts, estará lotado, ao contrário do que aconteceu no último sábado em Brasília, quando o Mané Garrincha teve apenas 40.428 pagantes na vitória da seleção sobre a Austrália por 6 a 0.

Cerca de 90% dos 68.756 lugares disponíveis no estádio já foram vendidos para o jogo desta terça. A organização da partida reservou uma cota para a venda antes do duelo entre Brasil e Portugal, marcado para as 22 horas, o que é comum nos Estados Unidos.

O Gillette Stadium, localizado em um grande complexo comercial, que oferece lojas, cinemas e várias opções de entretenimento, acolhe os jogos do time de futebol americano New England Patriots, que atua no campeonato da NFL, e também do time de futebol New England Revolution, que disputa o torneio da MLS.

O fato de receber diferentes modalidades exige uma complicada engenharia em relação ao gramado do estádio. Quando são disputados os jogos de futebol americano, cerca de 20 vezes por ano, o piso é a grama sintética. Por outro lado, nos jogos de futebol, os funcionários cobrem o piso com grama natural, como um grande cobertor instalado sobre o piso original. Os assentos, todos de couro vermelho e azul, as cores dos clubes, possuem design moderno.

O estádio possui 87 suítes de luxo, com instalações sofisticadas, e que vão acolher nesta terça personalidades do esporte como Pelé e Eusébio, considerado o maior jogador português de todos os tempos. A taça da Copa das Confederações, conquistada pelo Brasil na vitória sobre a Espanha por 3 a 0, em 30 de junho, também será exibida para os fãs em uma sala especial.

Anexo ao estádio, está o Hall dos Patriots, museu que oferece aos torcedores a história da equipe por meio da tecnologia e interatividade. Estão lá os uniformes, objetivos históricos e tudo o que é possível ser comercializado. O estacionamento, gratuito em algumas ocasiões, pode chegar aos US$ 40 nos grandes eventos.

Patrocinadora oficial da seleção brasileira, a Gillette assinou um contrato de US$ 105 milhões para utilizar a arena nos próximos 15 anos. A empresa também é dona dos naming rights das 18 partidas preparatórias da seleção brasileira até a Copa do Mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.