Amir Cohen/ Reuters
Amir Cohen/ Reuters

Estádio em Israel desenvolve túnel desinfetante para segurança dos jogadores

Plano dos dirigentes é que a instalação tenha condições de ser usada até o final da temporada, que foi retomada em 30 de maio

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de junho de 2020 | 16h32

Inaugurado em 1962, o Estádio Bloomfield, em Tel-Aviv, Israel, utilizado pelas equipes do Hapoel Tel-Aviv, Maccabi Tel-Aviv e Bnei Yehuda, tem o planejamento de possuir um túnel desinfetante para os jogadores utilizarem ao desembarcarem para as partidas. A intenção é tentar impedir a propagação da covid-19 e aumentar a segurança dos atletas.

Uma máquina de bomba d'água detecta quando alguém entra e pulveriza os bicos automaticamente por 15 segundos, banhando os jogadores e seus pertences em uma névoa desinfetante.

O plano dos dirigentes é que a instalação tenha condições de ser usada até o final da temporada, que foi retomada em 30 de maio. Os jogos não possuem públicos nos estádios.

O túnel usa água eletrolisada que é aprovada para uso como desinfetante. Pesquisadores da Universidade Bar-Ilan, em Israel, dizem ter desenvolvido tecnologia para prolongar a vida útil da água eletrolisada.

O processo de eletrolisação da água faz uso dos elementos naturais da água, do sal e da eletricidade e os reúne em uma câmara para originar uma solução limpante eficaz e poderosa, assim como uma solução sanitizante. Essas soluções não são utilizadas somente para higienizar alimentos, mas também para protegê-los de agentes causadores de doenças.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.