Estádio em que Fla jogaria é interditado por 'risco de desastres'

Rubro-negro ia estrear no Carioca no Estádio Giulite Coutinho

Estadão Conteúdo

29 Janeiro 2016 | 19h16

A abertura do Campeonato Carioca, neste sábado, não poderá acontecer no Estádio Giulite Coutinho, em Edson Passos. Pelo menos é o que diz a prefeitura de Mesquita, que nesta sexta-feira, pouco mais de de 24 horas antes do jogo entre Flamengo e Boavista, decidiu interditar o local.

"Comunicamos ao público que a edificação encontra-se interditada (...) Fica impedido o trânsito de pessoas neste local por risco iminente de ocorrência de desastres, motivo pelo qual foi necessária a intervenção preventiva", diz o papel colado num dos portões do estádio.

A assessoria de imprensa do Flamengo diz que não existe um plano B e, caso o jogo não possa ocorrer no sábado, o clube espera que a partida seja remarcada para outra data. A diretoria rubro-negra, entretanto, confia que o jogo será realizado em Edson Passos normalmente.

O Flamengo é o mandante da partida e, com o Maracanã vetado já por conta da Olimpíada, optou por levar seus jogos para o estádio de Mesquita, cidade a noroeste do centro do Rio, localizada entre Nilópolis, Belford Roxo e Nova Iguaçu.

O clube rubro-negro, entretanto, recebeu autorização do Corpo de Bombeiros para jogar no estádio. Em documento também desta sexta-feira, o Grupamento de Prevenção de Estádios autorizou a realização da partida entre Flamengo e Boavista, às 19h30 de sábado, para um público de até 10 mil pessoas.

Na sexta-feira, o Ministério do Esporte lançou um Sistema de Classificação de Estádios (Sisbrace), pontuando o Estádio Giulitte Coutinho com três bolas (de cinco possíveis), mesmo nível do Pacaembu e de São Januário, por exemplo. No quesito "segurança", o estádio recebeu quatro bolas, uma a menos que a pontuação máxima.

Mais conteúdo sobre:
FlamengoMaracanã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.