Estados Unidos jogam com ânimo extra

A seleção dos Estados Unidos entra em campo para enfrentar o Brasil, neste sábado, em Los Angeles, motivada pela vitória por 2 a 0 sobre o México. O resultado deixou a equipe norte-americana na primeira posição da fase final das Eliminatórias pela região da Concacaf. Nem o desânimo do público com o amistoso não está afetando os jogadores e o técnico Bruce Arena. "Estamos empolgados com a possibilidade de enfrentarmos o Brasil, umas das principais seleções do mundo", afirmou o treinador.Os organizadores do amistoso esperam que pelo menos 40 mil pessoas compareçam ao estádio, se o tempo ajudar. Nesta época do ano, as temperaturas começam a aumentar em Los Angeles, o que facilitaria a presença do público. Os brasileiros reclamaram um pouco do frio na tarde de quinta-feira, quando os termômetros apontavam cerca de 8º C, mas a temperatura é considerada amena pelos norte-americanos. "Precisamos do apoio de nossos torcedores para tentar jogar em igualdade de condições com o Brasil", ressaltou o treinador dos EUA.A seleção dos Estados Unidos deverá entrar em campo com alguns desfalques. O principal jogador da equipe, o meia Claudio Reyna, sofreu uma contusão na virilha direita na partida diante do México e não enfrentará o Brasil. O atacante McBride também está machucado e deve ficar fora.Os norte-americanos mais conhecidos dos torcedores brasileiros são Cobi Jones, que chegou a atuar pelo Vasco, e o veterano goleiro Tony Meola, que não tem presença confirmada no amistoso deste sábado. O atacante Bobby Convey, de apenas 17 anos, é uma das boas promessas da equipe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.