Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Estafe de Neymar suspende parte de campanhas publicitárias após denúncia de estupro

Empresa do jogador afirma que tomou a decisão para proteger a imagem tanto do atleta quanto das marcas

Redação, O Estado de S. Paulo

07 de junho de 2019 | 19h07
Atualizado 07 de junho de 2019 | 20h39

O estafe de Neymar revelou nesta sexta-feira que decidiu suspender algumas campanhas publicitárias enquanto o jogador se defende das acusações de estupro e agressão promovidas pela modelo Najila Trindade. A empresa NR Sports, detentora exclusiva dos direitos de exploração comercial da imagem, nome e marcas do jogador, informou em nota que todos os patrocinadores do atacante estão atentos sobre o andamento do caso.

A empresa esclareceu que nos últimos dias decidiu suspender algumas campanhas publicitárias sobre Neymar, para preservar a imagem tanto dele quanto das marcas. "Em conjunto com alguns parceiros e patrocinadores a NR Sports está suspendendo algumas campanhas diante da gravidade das injustas acusações e, sobretudo, da categoria de marcas endossadas", diz o texto. Não foi revelado o número de parcerias atingidas nem quais são as empresas. "Esclarecemos que não houve rompimento de nenhum contrato atualmente em vigor após a divulgação da grave acusação", acrescenta a NR Sports.

No entanto, na quinta-feira, em contato com a reportagem, a Mastercard afirmou que tomou a atitude de cancelar uma campanha que seria feita com Neymar durante a Copa América. "Nós tomamos a decisão de parar aquelas ativações que incluem o embaixador da marca até que o assunto seja resolvido", informou a assessoria de imprensa da empresa. Dias antes, a Nike explicou estar preocupada com o tema.

A NR Sports explicou que houve também empresas que manifestaram apoio ao jogador. "Outros parceiros decidiram não alterar o rumo das campanhas, declararam apoio público ao atleta Neymar Jr. e seguem firmes em seus projetos de fortalecimento das marcas", diz o texto. A empresa contou que há uma força-tarefa das equipes jurídicas tanto dela quanto do próprio atacante para abreviar a conclusão dos procedimentos policiais.

Nesta sexta-feira, a modelo Najila Trindade prestou depoimento durante quase seis horas em São Paulo e no dia anterior, foi Neymar quem compareceu à Polícia. No Rio, o atacante explicou sobre a acusação de crime virtual por ter divulgado imagens de nudez da mulher durante vídeo veiculado no Instagram no último fim de semana.

Por fim, a empresa de Neymar esclareceu que confia na inocência do atacante. "Até o presente momento esclarece a defesa do atleta Neymar Jr. que não há nenhuma "denúncia" da prática de qualquer crime, como indevidamente veiculado. Foram apenas noticiados (Boletim de Ocorrência já divulgado) à Autoridade Policial os fatos com 'acusações', que estão em fase de investigação", diz o texto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.