'Estamos acostumados a sofrer', lembra italiano Cassano

Passar para os mata-matas de uma competição importante passando sufoco não é novidade para a Itália. Nesta segunda-feira não foi diferente. Depois de vencer a Irlanda por 2 a 0 em Poznan, na Polônia, os italianos tiveram que esperar o fim do jogo entre Espanha e Croácia para comemorar a classificação, uma vez que um empate em 2 a 2 entre os rivais do Grupo C eliminaria a seleção da Itália da Eurocopa.

AE, Agência Estado

18 de junho de 2012 | 20h42

"Nós italianos estamos acostumados a sofrer, mas sempre damos o nosso melhor" disse o atacante Cassano, que passou por uma cirurgia cardíaca no fim do ano passado e por pouco não perdeu a Eurocopa. "A vitória era algo por que nós lutamos muito, mas o mais importante era estar com o grupo."

Depois do apito final, os italianos acompanharam os minutos finais da vitória da Espanha por 1 a 0, sempre temendo pelo improvável. "Eu não via a hora de soar o apito no outro jogo", confessou Cassano.

Agora a Itália, segunda colocada do Grupo C, espera o líder do Grupo D, posto que pode ser ocupado por Inglaterra, França ou Ucrânia. O técnico Cesare Prandelli, porém, não teme ninguém. "Não faz diferença para nós. Nós já jogamos contra a Espanha, que é a atual campeã europeia e mundial. Se nós jogarmos bem, podemos vencer qualquer um", garantiu o treinador.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolItáliaEurocopa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.