Botafogo/ Divulgação
Botafogo/ Divulgação

'Estamos enojados com tanta barbaridade', diz atacante do Botafogo

Jogador lamenta violência entre torcedores após o clássico contra o Flamengo, no domingo

Estadao Conteudo

13 Fevereiro 2017 | 15h38

O Botafogo vem de um clássico disputado no domingo e, nesta semana, tem mais um confronto importante pela Copa Libertadores. Mas o futebol acabou ficando em segundo plano na entrevista coletiva concedida pelo atacante Roger, nesta segunda-feira. Assumindo função de porta-voz informal do time, o jogador lamentou a violência entre torcedores do Botafogo e do Flamengo, no domingo, e se disse "enojado" com o episódio que causou a morte de um torcedor.

"Como atleta levanto a bandeira de paz. A gente não acha legal essa rivalidade, não concordamos e sequer apoiamos. Descriminamos isso. Estamos enojados com tanta barbaridade e besteira por parte de alguns torcedores", reprovou o jogador, que marcou o único gol do Botafogo na derrota por 2 a 1 para o rival rubro-negro.

Roger se referia à briga entre torcedores das duas equipes que resultou em uma morte e sete feridos, no entorno do Engenhão. A vítima fatal é Diego Silva dos Santos, de 28 anos, torcedor do Botafogo. Ele foi baleado no peito, chegou ao hospital em estado grave e não resistiu ao ferimento. Um dos feridos está internado em estado grave.

"Fica aqui os nossos sentimentos à família que perdeu o rapaz e a nossa indignação", disse o atacante do Botafogo, indignado com a violência. "Você vem curtir uma tarde de futebol com sua família e tem que passar por tudo isso. Que as pessoas possam ter um pouco mais de consciência com tudo isso. Quando temos um dia para curtirmos um jogo, perdemos vida. Que as pessoas possa amadurecer. Toda vez que sai uma notícia dessa eu fico com raiva. Que o torcedor venha em paz. Não aguentamos mais isso", desabafou.

Antes da coletiva de Roger, a diretoria do Botafogo já havia repudiado o episódio de violência no Campeonato Carioca. "Toda a violência que cercou o clássico, deixando feridos e prejuízo, é repudiada pelo Botafogo. Para o clube, futebol começa com paz nos estádios e segurança para os torcedores. O clima de insegurança e medo não pode jamais combinar com o esporte", registrou o clube.

Mais conteúdo sobre:
futebol Botafogo Flamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.