Jorge Bispo/CBF
Jorge Bispo/CBF

Estável, Pelé recebe alta após um mês internado para retirada de tumor no intestino

O Rei do Futebol seguirá fazendo tratamento de quimioterapia, de acordo com nota divulgada pelo hospital

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2021 | 18h32
Atualizado 30 de setembro de 2021 | 18h42

Pelé já está em casa, se recuperando da cirurgia para a retirada de um tumor no intestino. Após um mês internado em São Paulo, em condição estável, o ídolo brasileiro de 80 anos recebeu alta na manhã desta quinta-feira. Ele seguirá fazendo tratamento de quimioterapia, de acordo com nota divulgada pelo hospital.

"Edson Arantes do Nascimento recebeu alta do Hospital Israelita Albert Einstein na manhã desta quinta-feira, 30 de setembro de 2021. O paciente encontra-se estável e seguirá em quimioterapia, após cirurgia para a retirada de um tumor no intestino, realizada em 4 de setembro."

Pelé foi internado no dia 31 de agosto para realização de exames de rotina que deixara de realizar no ano passado por causa da pandemia de covid-19. Na bateria de exames, foi diagnosticado o tumor no cólon direito e a necessidade de processo cirúrgico.

A intervenção cirúrgica foi realizada com sucesso no dia 4 de setembro e, desde então, Pelé iniciou o trabalho de recuperação. Passou por um momento de instabilidade ao voltar à UTI, mas logo se recuperou. Para tranquilizar os fãs, a filha Kely Nascimento começou a usar as redes sociais para mostrar a evolução do quadro clínico do pai. Na quarta-feira ela informou que a batalha estava vencida.

Kely voltou aos Estados Unidos, onde mora, e Pelé seguirá acompanhamento de perto de outra filha, Flávia, que é fisioterapeuta e continuará realizando os exercícios ao pai para a plena recuperação.

"Uma notícia boa dessas merece ser muito celebrada! Pelé deixou hoje o hospital, em mais um passo de sua plena recuperação. O Reino do Futebol festeja sua saúde, Rei!", postou a CBF.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.