Franck Fife/AFP
Franck Fife/AFP

Estelar, Mbappé completa 20 anos com humildade: 'Não me sinto extraordinário'

Jovem atacante francês e um dos principais nomes do futebol ganha elogio até de Pelé em seu aniversário

Redação, O Estado de S.Paulo

20 Dezembro 2018 | 12h03

O ano de 2018 certamente mudou a vida de Kylian Mbappé. O atacante do Paris Saint-Germain passou de nome que alternava entre a titularidade e o banco do time parisiense a destaque da seleção da França, com a qual foi campeão mundial na Rússia em julho sendo um dos pilares do time e, ainda, escolhido o melhor jogador jovem da competição.

Ganhando mais importância no time parisiense, ele hoje comanda o ataque ao lado de Neymar e Cavani sendo titular incontestável, assim como o é na França de Griezmann, PogbaGiroud e cia. Colhendo os louros da ótima fase que vive no ano, ele completa 20 anos nesta quinta esbanjando humildade e conhecimento do próprio papel na sociedade, ainda que seja um astro do futebol mundial.

Nascido em 1998 e filho de esportistas, ele próprio se define como "uma pessoa normal" e pensa com tranquilidade sobre o sucesso que faz dentro e fora de campo.

"Não tenho a impressão de estar fazendo algo extraordinário. As pessoas me dizem que sim, mas apenas acho que estou vivendo o meu sonho", afirmou o atacante, em entrevista ao portal Le Parisien. "Sempre sonhei ter esta vida. Queria ser jogador de futebol, assim como outros gostariam de ter outras profissões. Futebol é uma coisa que gera muita publicidade, muitos fãs e muita paixão. Mas não me sinto como alguém extraordinário", explicou.

Nascido no ano do primeiro título mundial da França, Mbappé hoje diz ter boa relação com as crianças pois se enxerga nelas. "É um privilégio. Eu estava no lugar deles há pouco tempo, também admirei vários jogadores. Gosto de estar em contato com crianças e ver o sorriso delas, mas isso também significa que preciso ter muita responsabilidade. Preciso ser exemplar ao máximo no campo e fora dele também. É algo com o que eu lido todo dia".

O atacante iniciou a carreira com 16 anos, no Mônaco, clube que o relevou e por onde marcou 26 gols em 44 partidas, antes de se transferir para o PSG, em 2017. Ele relembrou quando era "apenas" um fã e teve a chance de falar com seus ídolos no futebol, como Zinedine Zidane e Cristiano Ronaldo, na ocasião já dando os primeiros passos na carreira.

"O meu aniversário de 14 anos foi o que mais me marcou. Treinei durante uma semana no Real Madrid, onde tive a sorte de conhecer Zidane e Cristiano Ronaldo", contou. "Quando era adolescente, era fanático pelo Cristiano Ronaldo e imitava o que ele fazia. Também conheci muitos jogadores da seleção francesa".

Elogiado por Pelé, que nunca escondeu a admiração pelo seu futebol, Mbappé já sabe o que quer de presente de aniversário pelos seus 20 anos. "Quero ganhar a Liga dos Campeões", afirmou.

Para alcançar a conquista, no entanto, o PSG deverá passar primeiramente pelo Manchester United, adversário nas oitavas de final do torneio. O rei do futebol, por sua vez, acredita no talento da jovem estrela.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.