Estevam distribui broncas no Palmeiras

Estevam Soares é um técnico que cobra bastante de seus jogadores. Tanto que costuma sair rouco de treinos e jogos. Mas no treinamento desta quarta-feira ele caprichou. Sem dó de seus comandados (e nem de sua própria garganta, a que mais sofre com os gritos), o treinador do Palmeiras saiu distribuindo broncas. Não poupou ninguém que cometesse qualquer tipo de erro. Berrou com Lúcio, Thiago Gentil e Claudecir. E chegou a dar um "empurrãozinho" em Diego Souza, quando viu o meia parado em campo, com as mãos na cintura."O Diego, às vezes, precisa de um empurrãozinho. Quando ele se conscientizar de que é preciso se movimentar o tempo todo, será um grande jogador", explicou Estevam.A justificativa para tanta bronca foi uma só: o técnico entende que o elenco "deu uma acomodada" depois que o STJD tirou 24 pontos do São Caetano, dando de presente a quarta colocação e a vaga no torneio qualificatório para a Libertadores ao Palmeiras - o time tem ampla vantagem sobre Juventude e Goiás, os dois que o sucedem na classificação do Brasileirão, e só pode ser ultrapassado se perder seus dois últimos jogos e os adversários diretos vencerem as duas partidas que lhes restam."Senti o elenco muito relaxado, talvez por causa dessa decisão do STJD. E essa acomodação não pode ocorrer, principalmente porque o São Caetano pode ganhar os pontos de volta. Precisamos vencer o Criciúma no sábado e a cobrança para isso tem que começar nos treinos. Por isso, houve esse monte de bronca que vocês (jornalistas) ouviram", contou Estevam. "Já pensou o vexame que seria se o Juventude e o Goiás nos ultrapassassem?" O técnico não se conforma com a acomodação dos jogadores porque, para ele, seu time ainda tem boas chances de conquistar a vaga na Libertadores sem depender do STJD. Interferências do tribunal à parte, o São Caetano teria hoje 77 pontos, só dois a mais que o Palmeiras. A diferença é que o São Caetano tem dois jogos dificílimos pela frente (o vice-líder Santos, no Anacleto Campanella, e o desesperado Atlético-MG, em Minas Gerais), enquanto o Palmeiras, teoricamente, tem partidas menos complicadas (o Criciúma, dono da pior campanha do returno, em casa, e o desinteressado Fluminense, no Rio de Janeiro). ?Queremos conquistar essa vaga em campo?, avisou Estevam.Dentre as muitas broncas que Estevam distribuiu, algumas foram cômicas. Após um cruzamento de Lúcio, por exemplo, o atacanteRicardinho fez um estranho corta-luz e Thiago Gentil, que vinha por trás, praticamente recuou a bola para o goleiro Diego Cavallieri. ?Tenho um centroavante que só pula e outro que não chuta forte?, disparou o treinador, ironizando seus jogadores.Tanta cobrança causou constrangimento aos atletas. O zagueiro Gabriel, brindado com uma sonora bronca do treinador (?Joga sério! Faz o simples! Não precisa de firula aqui na zaga!?) bem na frente da área onde ficam os repórteres, não escondeu o descontentamento. Balançou a cabeça negativamente e saiu pisando grosso depois que Estevam virou de costas.O time que deve enfrentar o Criciúma, sábado, no Palestra Itália, já está praticamente definido. Terá: Diego Cavallieri; Gabriel,Daniel e Nen; André Rocha, Marcinho, Magrão, Diego Souza e Lúcio; Osmar e Thiago Gentil. Magrão e Osmar, contundidos, ainda sãodúvidas. Se não puderem jogar, entram Claudecir e Ricardinho, respectivamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.