Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Estevam é o novo técnico do Palmeiras

O novo técnico do Palmeiras é Estevam Soares. Ele próprio confirmou sua despedida da Ponte Preta após a vitória sobre o Paraná, por 1 a 0, em Curitiba. A saída da Ponte foi definida no sábado, mas ele só deve se apresentar no Parque Antártica na próxima quarta-feira. O time campineiro não perdeu tempo e praticamente confirmou Marco Aurélio Moreira como seu novo treinador para o restante da temporada. "Tudo foi feito às claras. Recebi uma proposta irrecusável e passei aos meus dirigentes, que ponderaram e devem me liberar. Com relação ao Palmeiras, está tudo certo", disse Soares, ainda rouco de tanto gritar com seus jogadores na capital paranaense. Ele vai ganhar R$ 120 mil de luvas e R$ 40 mil por mês, nada mal para quem ganhava R$ 15 mil na Ponte desde janeiro. A negociação começou na sexta-feira. Um grupo de conselheiros indicou Estevam Soares ao presidente Mustafá Contursi, que resistia na contratação porque tinha posição de não contactar nenhum profissional em atividade dentro da Série A. Mas o dirigente acabou sendo convencido de que Soares seria o mais indicado para este momento do clube, por se tratar de um técnico da nova geração, com idéias novas e com facilidade de comunicação com a imprensa, o ponto negativo de Jair Picerni, o ex-treinador. Mustafá só concordou desde que a diretoria da Ponte Preta fosse consultada e concordasse com a mudança, o que aconteceu em seguida. O vice-presidente Marco Antônio Eberlin foi consultado à respeito, encaminhou a questão ao presidente Sérgio Carnielli, de origem italiana e simpático ao Palmeiras, e tudo terminou em pizza. A resposta foi dada somente neste domingo à tarde, por volta das 14 horas. Recentemente o Palmeiras ajudou o time campineiro, liberando três jogadores: o zagueiro Alexandre, o volante Flávio e o centroavante Anselmo. O time da capital, por sua vez, ficou com o zagueiro Gabriel, comprado pelo empresário Juan Figger por US$ 400 mil. Como técnico - A carreira de Estevam Eduardo Soares como treinador começou em 1994 no Primavera de Indaiatuba, disputando a quinta divisão paulista. Então com 37 anos e já sem a mesma mobilidade de antes, Estevão era o zagueiro do Primavera, então dirigido pelo ex-meia do Santos e São Paulo, Ailton Lira. Como o time não vinha bem, os dirigentes do Primavera resolveram tirar Ailton Lira e aposentar Estevam como jogador, dando a chance a ele de assumir o comando do time. Ele recuperou o time, que acabou conquistando o título paulista da Série B1-B em 1994, antiga quinta divisão. A partir daí a carreira de Estevam Soares começou a decolar como treinador e depois de uma passagem obscura pela Inter de Limeira, em 1995, Estevam fez um bom trabalho no ABC-RN e na URT-MG, passando a comandar os aspirantes do Guarani, onde foi campeão em 1998. Já a partir de 1999, foi efetivado como treinador do time Guarani e firmou-se definitivamente na carreira e do Brinco de Ouro passou por times medianos como América-RN e CSA-AL, voltando à Campinas em 2000, para substituir a Marco Aurélio Moreira. Na Ponte Preta, Estevam Soares fez um ótimo trabalho já no ano 2000, mas acabou dispensado para que a diretoria da Ponte Preta atendesse um pedido da FPF, que colocou Nelsinho Batista no comando do time. Antes de retornar à Ponte Preta, no início desta temporada, Soares passou por vários times como Matonense, Náutico-PE, CRB-AL e Gama-DF e em 2002 teve uma experiência internacional, comandando o Olympic, no Líbano. Montou toda a estrutura para que o time fosse campeão nacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.