Estevam repete discurso dissimulado

Estevam Soares escolheu o caminho mais fácil para explicar o instável futebol do Palmeiras. O treinador fez de conta que não percebeu que o time ficou muito nervoso com a cobrança dos torcedores. E com os gols que o Santo André desperdiçou. Esperto, Estevam preferiu comemorar a injusta vitória por 2 a 1. E repassou a culpa dos mesmos erros de 2004 à volta das férias. "Enquanto tivemos força física nós impusemos o nosso ritmo e fomos muito bem. Fizemos o gol e conseguimos a vantagem no placar. O segundo tempo não pode ser levado em consideração porque o Palmeiras cansou. Foi a mesma coisa que aconteceu em Limeira contra o Internacional. A equipe não está bem fisicamente", resumiu o técnico. "O que incomoda é sair do Parque Antártica com a certeza de que poderíamos ter não só empatado, como vencido o Palmeiras. Perdemos muitos gols mesmo com dez jogadores", desabafa, irritado, o atacante Sandro Gaúcho.O sufoco que o Palmeiras sofreu durante boa parte do segundo tempo também foi esquecido pelos jogadores. Eles faziam questão de falar do lado bom da partida. "Eu fiz um gol que me lembrou dos meus tempos de meia no Noroeste. Adorava só me preocupar em atacar. O Baroninho, que jogou no Palmeiras, foi meu técnico e aprimorava o meu poder ofensivo. A tabela que fiz com o Warley foi linda e não tive dúvida em chutar forte. Foi só o meu primeiro gol na temporada, outros virão", promete Claudecir. "Eu também tenho facilidade de atacar. O toque que dei de calcanhar para o Ricardinho marcar foi muito consciente. Não tive dúvida do que fazer quando o Warley me passou a bola. Acho que a torcida gostou", dizia, orgulhoso, Correia.Destaque - Quem realmente mereceu destaque durante toda a partida foi o estreante Warley. O atacante conseguiu com sua velocidade e passes criar várias chances para o Palmeiras. "Eu me senti bem demais nesta minha primeira partida. Parecia que já vinha jogando há muito tempo por aqui. Consegui dar bons passes para os meus companheiros. Pena que não fiz o meu gol. Foi uma pena, mas tudo bem. Sei o quanto consegui ser importante. Quem não faz o gol tem que estar bem colocado para dar a vitória ao grupo. Outros jogos virão e os gols também. Tenho certeza", dizia Warley que deixou o gramado muito aplaudido pelos torcedores.Marcel que foi a estrela na estréia do Palmeiras contra a Internacional de Limeira acabou muito marcado e pouco produziu. A ponto de ser substituído. "Joga bem em uma partida, todo mundo vê e a marcação fica forte mesmo. Mas não faz mal. O que valeu foi a vitória do Palmeiras", deixou escapar o jogador ao final do jogo.Os comentários no Parque Antártica eram repetitivos de que a diretoria deve apresentar um novo meia ainda esta semana. Roger do Benfica é o jogador sonhado por Estevam Soares. Djalminha, de 34 anos, teria sido oferecido à diretoria. Estevam está indeciso se vale a pena apostar ou não no polêmico atleta. E Cahê deve acertar seu empréstimo nesta segunda-feira para a Ponte Preta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.