Estevam tenta diminuir a pressão

A liderança isolada do Brasileirão, com 69 pontos, a série de 18 jogos sem derrotas e o artilheiro do campeonato, Washington, com 25 gols marcados. Tudo isso leva o técnico Estevam Soares, do Palmeiras, a constatar: o Atlético-PR é favorito no jogo de sábado, no Palestra Itália. "Eles têm um conjunto muito forte e encontraram a maneira certa de atuar", elogiou Estevam. "Mesmo sem o Dagoberto (contundido) e diante da nossa torcida, o Atlético-PR é favorito", insistiu o treinador do Palmeiras.Com o discurso, Estevam pretende jogar a responsabilidade pela vitória para o adversário e aliviar a pressão sobre o Palmeiras - que, apesar da boa vitória por 2 a 0 diante do Juventude, domingo, em Caxias do Sul, teme as cobranças dos próprios torcedores no Palestra Itália. "Qualquer torcida, quando o time não joga bem, se volta contra sua equipe. Mas agora, precisamos de apoio e paciência", pediu o treinador.Outro expediente utilizado pelo técnico é o de chamar para si a culpa por uma provável má atuação diante do Atlético-PR. "Proponho aos torcedores: se o Palmeiras atuar mal, podem me xingar, mas poupem a equipe", disse Estevam. "Não tenho problemas com vaias. Faço como o técnico Pepe, que tirava o aparelho de surdez sempre que a torcida reclamava, e não ouvia nada."Estevam aprovou a escalação do time com três zagueiros e vai manter o esquema tático diante do Atlético-PR. A maior dúvida é o atacante Osmar, que levou uma pancada no joelho esquerdo contra o Juventude. As dores diminuíram, mas nem o jogador garante que estará em campo no sábado."Com esse tipo de lesão é preciso ter cuidado. Só jogo se estiver 100% recuperado", afirmou Osmar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.