Estevão garante: não estã sob pressão

?Pressão? Minha pressão está 12 por 8!?, brincou o técnico Estevam Soares quando perguntado se uma eventual derrota para o Tacuary, nesta quarta-feira, no Parque Antártica, aumentaria a pressão sobre sua cabeça. Depois, sobre o mesmo assunto, foi curto e certeiro: ?Precisamos vencer. Só penso na possibilidade de vencer. Se perder, vai ser uma bomba!?O treinador garante que está preparado para administrar essa pressão contrária. ?Podem ter a certeza que essa pressão não vai alterar em nada meu trabalho. Preciso me acostumar com isso?, disse Estevam.Porém, a pressão contrária de conselheiros palmeirenses aumenta em direção ao treinador. A desclassificação da Copa do Brasil para o Santo André, no ano passado, em circunstâncias semelhantes, custou o emprego de Jair Picerni. Um novo vexame, desta vez na Libertadores, dificilmente não terá o mesmo fim. Estevam sabe disso e aumentou o tom das cobranças feitas aos jogadores. ?Conversamos muito e de forma mais áspera. Mostramos nossas falhas e tentamos corrigir os nossos erros. A gente está perdendo gols feitos e tomando gols bobos. E isso porquê? É falta de concentração. Contra o Tacuary, agora, temos jogadores concentrados desde domingo. Não podemos perder nossos objetivos?, disse o treinador que deu uma bronca em Corrêa e Marcinho pelas suas expulsões no jogo contra a Portuguesa Santista. ?Nosso jogador tem de ter a cabeça no lugar. A gente está num time de ponta. Isso não pode acontecer.?Até esta terça-feira à tarde, 11 mil ingressos foram vendidos antecipadamente. O técnico Estevam conta com o apoio total da torcida para afastar de vez o fantasma do Parque Antártica, palco de vexames no ano passado. ?Temos a péssima mania de lembrar apenas das desgraças. Mas o Parque Antártica foi o palco das grandes conquistas do Palmeiras. Não podemos esquecer nunca disso?, declarou.

Agencia Estado,

09 de fevereiro de 2005 | 08h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.