Estilo Felipão ainda assusta torcedores portugueses

Luis Felipe Scolari está há três anos e meio no comando da seleção portuguesa. Mas seu estilo sargentão ainda não foi assimilado pela imprensa de Portugal. No treino da tarde de quarta-feira, o treinador chamou a atenção dos jogadores de defesa após uma entrada um pouco mais forte sobre o meia Luís Figo. ?Calma que o jogo é só domingo. Hoje é treino?, disse o treinador brasileiro. Logo depois, o alvo dos gritos de Felipão foram os reservas Hugo Viana e Nuno Gomes, que não acertavam as finalizações. ?Se eu e o Murtosa (Flávio, auxiliar-técnico) fizermos uma dupla vamos fazer melhor que vocês.? Isto bastou para que na quinta-feira o tema principal antes do treino fosse a ?bronca? de Felipão nos jogadores. Nada diferente do dia-a-dia, por exemplo de 1997 a 2000 nos treinamentos diários do Palmeiras. ?Mas será que ele não está nervoso com o time??, perguntavam os jornalistas portugueses. No treino da tarde de quinta, Felipão utilizou o campo que fica mais distante dos jornalistas. Mesmo assim seus gritos para melhorar a marcação na saída do adversário, no posicionamento do ataque nos escanteios e na recomposição da defesa para impedir o contra-ataque adversário, voltaram a preocupar os jornalistas. ?O que foi que ele disse??, perguntou um deles. ?Não sei. Se o vento viesse a nosso favor, daria para ouvir melhor?, respondeu o outro, quase invadindo o gramado. Felipão só tem uma dúvida para escalar a equipe que vai enfrentar Angola, domingo, em Colônia, na estréia do Mundial. Costinha e Maniche brigam por uma vaga no meio-de-campo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.