"Estilo Scolari" volta ao Palmeiras

A contratação de Celso Roth é a comprovação de que o estilo linha-dura adotado por Luiz Felipe Scolari nos três anos que permaneceu no Palmeiras ainda tem muitos admiradores no Palestra Itália. Os outros dois nomes cogitados para o lugar de Marco Aurélio Moreira - Oswaldo de Oliveira e Carlos Alberto Parreira - eram considerados competentes tecnicamente pela diretoria, mas o clube procurava alguém ao "estilo Scolari", com autoridade para pôr fim aos casos de indisciplina.O Palmeiras, que se orgulha de ter vivido a fase da Academia de Futebol nos anos 60 e início dos 70, sob o comando do ?Divino? Ademir da Guia, já teve gaúchos no comando da equipe, como Osvaldo Brandão nos anos 70 e Ênio Andrade na década de 80. Mas desde a passagem de Luiz Felipe Scolari pelo clube, e do título de campeão da Libertadores da América de 99, prevalece a filosofia de futebol de muita marcação.Celso Roth tem estilo próprio de trabalho, mas não esquece suas origens. "Trabalhei com Luiz Felipe como preparador físico e fui lançado por ele como técnico", lembra. O novo treinador, prevendo o que virá pela frente, já pediu à diretoria a renovação de contrato de um de seus jogadores prediletos, o lateral paraguaio Arce.Os gaúchos que fazem escola, por ironia, também criam problemas no clube. Argel, contratado a pedido de Luiz Felipe Scolari, tentou se impor à força no time titular e foi afastado por Marco Aurélio. No sábado, aproveitou a saída do técnico e foi treinar, sem autorização, o que irritou o presidente Mustafá Contursi. Roth já foi avisado: Argel está fora dos planos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.