José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Estou pronto para ser vaiado, diz Alan Kardec sobre palmeirenses

'Tenho que me programar para sofrer o mínimo possível', diz jogador

CIRO CAMPOS, Estadão Conteúdo

23 Março 2015 | 18h25

Nos dias que antecedem o clássico com o Palmeiras, o atacante Alan Kardec, do São Paulo, tem se preparado psicologicamente para sofrer uma perseguição dos torcedores do ex-clube. Nesta quarta-feira, no clássico válido pelo Campeonato Paulista, o jogador vai atuar pela primeira vez no estádio do rival e disse que está pronto para receber bastante pressão dos alviverdes durante o jogo, que será no Allianz Parque.

"Estou com a cabeça tranquila, mas em determinados momentos eu tenho que me programar para sofrer o mínimo possível", contou o atacante nesta segunda-feira. Alan Kardec ainda não tem vaga garantida no time titular e explicou que começar como reserva no clássico é uma situação que agrava a quantidade de vaias. "Enfrentar a torcida começando no banco é pior. Vai ter mais vaia e xingamentos. Será uma sensação diferente e inexplicável", comentou.

A animosidade entre o atacante e os palmeirenses começou no ano passado, quando o jogador se transferiu para o São Paulo. A negociação causou ainda polêmicas entre os presidentes das duas equipes. O agora jogador do time tricolor lembrou que é um algoz da ex-equipe. "Atuei duas vezes contra o Palmeiras. Em uma fiz o gol da vitória no último minuto (2 a 1, no Pacaembu) e na outra, ganhamos por 2 a 0 (no Morumbi)", disse Kardec, ao se referir dos dois encontros pelo Brasileirão do ano passado.

Pelo Palmeiras, o atacante foi o artilheiro da Série B de 2013 e era titular absoluto. Em 2015, perdeu a vaga de titular no São Paulo, que tem escalado no setor ofensivo Luis Fabiano e Alexandre Pato. Apesar de ter marcado dois gols contra o Marília, no último domingo, Alan Kardec não tem vaga garantida no time e a tendência é que seja reserva. Muricy deve definir a equipe titular em treino nesta terça-feira pela manhã.

Se o clima de rivalidade promete estar bem focado em Kardec, em um aspecto o jogador se diz tranquilo. O estádio do rival é um local novo para o São Paulo, que nunca atuou lá, mas o atacante afirma que a estreia e a ambientação ao gramado não serão problemas. "Quando entramos em uma nova arena, de qualidade, sabemos que tudo é de primeira linha, então não tem mistério para jogar. O gramado é sempre ótimo e tem uma boa estrutura, então a adaptação é rápida", comentou.

Mais conteúdo sobre:
futebol São Paulo FC Alan Kardec

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.