?Estou vivendo um sonho?, diz haitiano

A seleção do Haiti não esconde a tietagem em relação aos rivais desta quarta-feira. Os anfitriões da partida da paz têm a intenção explícita de curtir a oportunidade, rara, de enfrentar seus ídolos. ?Perco o sono de pensar que vou jogar com Ronaldo, Roberto Carlos e Cafu?, admitiu Bruny Pierre Richard, capitão do time, ainda sem saber da ausência do lateral-direito. ?Estou vivendo um sonho.? O técnico Carlo Marcelin segue linha de raciocínio idêntica à do zagueiro, e com muito bom humor. ?Estudo a melhor maneira de parar os brasileiros?, divertiu-se. ?Conhecemos bem esse time, mas o objetivo é fazer papel bonito, como merece um jogo que pretende promover entendimento.?O Haiti prepara-se para a disputa da Copa do Caribe, em outubro, e já está fora da briga por vaga para o Mundial de 2006. Nos jogos preliminares pela região da Concacaf, foi eliminado pela Jamaica, depois de empate por 1 a 1 e derrota por 3 a 0. O futebol haitiano é semiprofissional e os atletas que sobressaem preferem tentar a sorte no exterior. Casos de Jean Peguero (Colorado Rapids, EUA), Jean Jacques Pierre (Peñarol) e John Descolines (Chicago Fire, EUA).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.