Washington Alves/Divulgação<br>
Washington Alves/Divulgação

Estrangeiros brilham e figuram entre principais artilheiros do Brasileiro

Boliviano Marcelo Moreno e argentino Barcos lideram lista e contribuem para os 85 gols marcados por 'gringos' no torneio

Felippe Scozzafave, O Estado de S. Paulo

29 de setembro de 2014 | 10h20

A cada ano que passa, é mais frequente vermos jogadores estrangeiros brilhando no futebol brasileiro, com os argentinos Tévez e Conca sendo eleitos, recentemente, os craques do Brasileirão. Porém, em 2014, o "faro artilheiro" dos gringos chama atenção, a ponto deles dominarem a lista de maiores goleadores do campeonato nacional.

Um dos destaques do Cruzeiro, atual campeão brasileiro e grande candidato ao título em 2014, Marcelo Moreno parece que nasceu para jogar na equipe mineira. Depois de brilhar com a camisa do clube entre 2007 e 2008, ele foi negociado com o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia. Após alguns anos de pouco destaque na Europa, retornou ao Brasil para defender Grêmio e Flamengo, onde também não foi bem. Agora, de volta ao Cruzeiro, já marcou 12 gols no Brasileirão e comanda o melhor ataque da competição.

O vice-líder entre os artilheiros é o argentino Hernán Barcos. O atacante, que já fez 11 gols no torneio, é mais do que fundamental para o Grêmio, pois é responsável por mais da metade dos gols da equipe no campeonato. Outro que é chave em seu time é Paolo Guerrero, do Corinthians. O peruano, herói do time no Mundial de 2012, vive sua melhor fase desde que desembarcou do Brasil e, além de ter 7 gols no Brasileirão, é o grande responsável por manter sua equipe entre as primeiras colocadas desde as primeiras rodadas.

Quem também contribui para os 83 gols marcados por jogadores estrangeiros no torneio nacional são os argentinos Darío Conca, do Fluminense e Andrés D'Alessandro, do Inter, com seis gols cada um, mesmo número de Pablo Zeballos, paraguaio da equipe do Botafogo. Eduardo da Silva, brasileiro naturalizado croata também contribui para a lista. O atacante do Flamengo, contratado após a Copa do Mundo, já balançou as redes 5 vezes no Brasileirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.