Estreante, Julinho Camargo vê derrota injusta do Grêmio contra o Cruzeiro

Técnico diz que adversário deu três chutes no gol e marcou duas vezes na partida

AE, Agência Estado

07 de julho de 2011 | 11h38

SETE LAGOAS - A estreia do técnico Julinho Camargo no comando do Grêmio não foi como ele esperava. A derrota por 2 a 0 para o Cruzeiro, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG), fez com que a equipe chegasse à sua quinta partida consecutiva sem vitória e se aproximasse da zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro, com apenas oito pontos.

Apesar disso, o treinador elogiou o desempenho gremista. "É importante relatar que o Cruzeiro chutou três bolas a gol durante os 90 minutos e conseguiu marcar duas vezes. Temos que destacar também a qualidade individual do Montillo. Ele fez a diferença", afirmou. "Acabamos tomando os gols em momentos em que o time estava bem", completou.

A atuação deixou o treinador animado. Mesmo estando apenas um ponto à frente do Atlético-GO, primeira equipe na zona do rebaixamento, Julinho sonha alto e acredita que o Grêmio ainda possa dar "um salto muito longo".

"Campeonato é muito longo. Com vitórias em sequência a gente da um salto muito longo. Tenho boa expectativas para o jogo de domingo (contra o Coritiba, no Olímpico), com o apoio da torcida, em nosso estádio, para de forma organizada buscar esse caminhar. Precisamos pensar jogo a jogo e queremos começar no domingo", avaliou.

O técnico gremista ainda comemorou a disposição tática da equipe e afirmou que os jogadores cumpriram o que foi combinado no vestiário. "Os jogadores foram fiéis ao que a gente conversou, principalmente no segundo tempo. Acabamos tendo uma ou duas chances e se fizéssemos um gol a gente voltava para o jogo. Quando se pega o 2 a 0 isolado dá impressão que a equipe vitoriosa foi bem melhor durante todo o jogo, mas não foi isso que vi. O jogo foi equilibrado", analisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.