Estreante, Naldo tenta conquistar seu espaço na seleção

O mensageiro da boa notícia foi Diego. Antes do treino do Werder Bremen no dia 14 de março, o meia repassou o recado ao amigo Naldo. ?O Américo Faria [supervisor da seleção brasileira] quer falar com você", avisou. Como o zagueiro já sabia do corte de Luisão e de Alex para os amistosos contra Chile e Gana, não foi difícil fazer a relação: sua primeira convocação para defender o Brasil estava próxima.?Depois do treino da manhã, liguei para o Américo Faria e passei todos os meus dados. E ele me desejou boa sorte na convocação, que seria à tarde?, contou Naldo, em entrevista por telefone, ainda na cidade de Bremen, na Alemanha, antes de se apresentar nesta quinta-feira na Suécia. A confirmação veio quando Dunga anunciou que Naldo e Edu Dracena substituiriam os zagueiros cortados. Naldo tem 24 anos, é natural de Londrina e faz parte de um contingente cada vez maior de brasileiros que atingem o sucesso no exterior sem terem experimentado a popularidade no próprio país. Profissionalizou-se em 2001 no RS Futebol Clube, time gaúcho que tem como principal objetivo a formação de atletas. Em 2004, foi emprestado ao Juventude. Em julho do ano seguinte, seguiu para Bremen.?Saí muito novo daí [do País], sem jogar em um time considerado grande. Mas isso não me chateia. Acho que pelas minhas atuações aqui já estou mais conhecido no Brasil?, afirmou Naldo. Quando chegou a Bremen, o técnico da equipe, Thomas Schaaf, deu sua opinião sobre defensor. ?Ele é, talvez, o mais talentoso zagueiro do Brasil?, chegou a dizer. O apoio do treinador foi fundamental para sua rápida adaptação ao futebol alemão, revelou o jogador. ?Ele sempre me apoiou, me deu uma confiança imensa?, explicou. Tanta confiança, aliás, também se transforma em gols. Naldo, que foi considerado o melhor zagueiro do primeiro turno do Campeonato Alemão, gosta de dar suas investidas no ataque. Já marcou seis gols nesta temporada - três deles na goleada de time sobre o Eintracht Frankfurt por 6 a 2. Naldo se define como um zagueiro técnico, que sai jogando e gosta de bater faltas - tem chute potente. E acredita que o fato de Dunga ter atuado no futebol alemão - foi capitão do Stuttgart na década de 1990 - ajuda a valorizar quem disputa o campeonato local. ?Ele e o Jorginho jogaram na Alemanha e sabem como é difícil.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.