Vitor Silva/SSPress/Botafogo
Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Estreante, Zé Ricardo promete poucas mudanças no Botafogo contra o Paraná

Novo técnico se diz ansioso pelo primeiro jogo no comando, em Curitiba, diante do lanterna do Brasileiro

Estadão Conteúdo

10 Agosto 2018 | 15h53

O técnico Zé Ricardo não prometeu fazer mudanças drásticas na maneira de jogar do Botafogo na sua estreia à frente da equipe. Contra o Paraná, às 11 horas deste domingo, no Durival Britto, em Curitiba, pelo Campeonato Brasileiro, o treinador vai comandar pela primeira vez o time carioca.

"Que a gente possa fazer um bom jogo em Curitiba. É uma estreia muito esperada por mim. Tivemos uma semana leve de trabalho e o Botafogo já tem uma base, uma forma de jogar", afirmou o técnico em entrevista coletiva nesta sexta-feira, após treino no Engenhão.

Zé Ricardo celebrou ter conseguido com o elenco antes de enfrentar o Paraná durante quase uma semana. "Fundamental, como você falou, não é legal pegar um trabalho assim. O ideal seria que todo treinador tivesse uma pré-temporada para desenvolver um trabalho. Mas a realidade é essa. Os quatro dias que tivemos foram bastante proveitosos. Primeiro de uma forma coletiva e, depois, de uma forma individual, estamos conversando com os atletas, para tirar dúvidas deles e também passar o que a gente pensa", afirmou.

Adversário do Botafogo, o Paraná é o lanterna do Brasileirão, com 13 pontos ganhos em 17 jogos. Por isso, Zé Ricardo previu um adversário atuando pressionado neste domingo. "Certamente é uma pressão muito grande para eles vencerem. A gente também não vem de uma sequência boa. Deve haver uma tensão, nervosismo nesse jogo. Se a gente conseguir fazer uma partida equilibrada e sair na frente, esse momento vivido pelo Paraná pode ajudar a gente. Mas não vai ser nada fácil, vamos ter de competir muito", disse o técnico do Botafogo, 11ª colocado no torneio, com 21 pontos.

Zé Ricardo ainda não deve contar com os goleiros Gatito Fernandez e Jefferson, ambos lesionados. "Quando cheguei, havia uma perspectiva de o Gatito voltar apenas no returno, só que a evolução dele tem sido muito boa. Vamos ter cautela. Ele fez um bom treino nesta sexta, mas não queremos acelerar nenhum processo, nenhuma etapa", disse o técnico sobre o paraguaio, que sofreu uma lesão no punho em abril.

Já Jefferson, que sofreu um trauma no tórax há 20 dias, vai levar mais tempo para se recuperar, mas visitou os colegas de elenco nesta sexta-feira. "Muito legal a presença dele. Nossa direção viabilizou que ele viesse se encontrar com a gente no treino. Fiz questão de conhecê-lo. Falei para ele que é importante, mesmo durante essa recuperação, que ele esteja aqui. Tem uma presença de peso e uma liderança incontestável dentro do clube", comentou Zé Ricardo.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.