Estréia apagada frustra torcedores

Demorou apenas 66 minutos a lua-de-mel da torcida santista com o quadrado mágico da Vila Belmiro. Como o gol não surgia e o ataque não conseguia chegar com perigo, os 13 mil torcedores passaram a vaiar o time, aos 21 minutos do segundo tempo. Em seguida, o nome de Basílio começou a ser gritado. Não era essa a estréia sonhada por Luizão, que aos 29 anos, fez questão de jogar, mesmo ainda sentindo os efeitos dofuso horário - chegou do Japão segunda-feira - e reconhecendo estarfora de forma. "De uma escala de um a dez, meu condicionamento físico está em sete", repetiu, após o jogo. Luizão ficou em campo durante 76 minutos e foi aplaudido no início dapartida, quando por pouco não fez o gol, em jogada com Giovanni ePitbull, aos 2 minutos do primeiro tempo. Experiente, procuroucompensar a falta de ritmo com muita aplicação. Aos 31 do segundotempo foi substituído por Geílson, sob poucos aplausos. Durante a inauguração das novas obras no Centro de Treinamentos Rei Pelé, no sábado pela manhã, o presidente do Santos, Marcelo Teixeira, afirmou que o seu principal objetivo no momento é garantir a permanência dos principais jogadores para a próxima temporada. "Estamos conversando para renovar o contrato de Ricardinho", afirmou, sem dar mais detalhes. Foi a segunda vez, em menos de uma semana, que o dirigente falousobre a situação dos jogadores que estão em condições de assinarpré-contrato e deixar a Vila Belmiro sem pagamento de multa no fim doano. Na apresentação de Nelsinho Baptista, Teixeira chegou a ameaçar pegar pesado com os jogadores que se estão se negando a negociar a renovação de contrato no momento. Um deles é o volante Bóvio, que já teria assumido compromisso para se transferir para o Málaga, da Espanha, em dezembro. Apesar dainsistência dos dirigentes, o jogador continua firme na sua decisão desó discutir o assunto após o término do Campeonato Brasileiro. Ricardinho também quer ganhar tempo, provavelmente à espera de uma boa proposta da Europa. No meio do ano, o meia tinha quatro convites de fora, mas como nenhum era de clube de ponta, preferiu permanecer na Vila Belmiro. Mas também não confirma que esteja tratando da renovação do contrato com o Santos. "Estou concentrado no Campeonato Brasileiro, deixo esse assunto para o meu procurador e, por enquanto, ele não me falou nada." Outro assunto que está em pauta é a dispensa de vários jogadorescontratados pelo ex-técnico Alexandre Gallo e que não estão sendoúteis ao clube. O elenco do Santos tem 36 jogadores e como o clube foi desclassificado na Copa Sul-Americana, é provável a lista de dispensa tenha pelo menos dez nomes.

Agencia Estado,

01 de outubro de 2005 | 20h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.