Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Estudiantes também tem sua '2ª casa', o palco do jogo contra o Santos

Zagueiro David Braz espera dificuldades em "campo pequeno com gramado ruim"

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

04 de abril de 2018 | 08h50

Rivais nesta quinta-feira pela terceira rodada do Grupo F da Copa Libertadores, Estudiantes e Santos têm algo em comum. Assim como o clube paulista se reveza entre Vila Belmiro e Pacaembu nas suas partidas como mandante, o time argentino também possui a sua "segunda casa", o Estádio Centenário, em Quilmes.

+ Negociações frustradas e falta de opções confiáveis mantêm Santos carente de '10'

+ Em tratamento, David Braz exibe otimismo para jogar pelo Santos na Argentina

Será no estádio do Quilmes, clube que na temporada passada foi rebaixado para a segunda divisão da Argentina, que Estudiantes e Santos vão se enfrentar a partir das 21h30 desta quinta. Mas embora tenha o Estádio Ciudad de La Plata, de propriedade da Província de Buenos Aires, como sua casa, jogar em Quilmes está longe de ser uma novidade para o clube tetracampeão da Libertadores.

Foi lá que o Estudiantes disputou cinco jogos como mandante na atual edição do Campeonato Argentino. O começo não foi bom, com derrota para o San Lorenzo (3 a 1) e empate com o Banfield (1 a 1). Depois, porém, venceu o Argentinos Juniors e o Atlético Tucumán, ambos por 1 a 0, antes de cair para o Boca Juniors pelo mesmo placar. E todos esses compromissos foram realizados no segundo semestre de 2017.

Agora, então, o Estudiantes volta a Quilmes para tentar manter a sua invencibilidade e liderança na Libertadores após vencer o Real Garcilaso por 3 a 0 em La Plata, na segunda rodada do Grupo F, sendo que antes havia empatado sem gols com o Nacional no Uruguai.

Foi lá, aliás, que o Estudiantes encerrou a sua participação na Libertadores de 2017. Já eliminado, o time argentino levou para o estádio de Quilmes o duelo com o Botafogo, pela rodada final da fase de grupos da Libertadores. O time já estava garantido nas oitavas de final e garantiu o primeiro lugar da chave mesmo com a derrota por 1 a 0. No banco de reservas, estava Jair Ventura, hoje à frente do Santos.

E, evidentemente, o treinador já revelou as características do estádio ao seus comandados, avisando que eles encontrarão condições adversas. "Nunca joguei lá, mas acompanhei jogos pela TV. É pequeno. O professor passou no sábado que esteve lá no ano passado com o Botafogo. Disse que o gramado é ruim e o campo é pequeno. Vamos trabalhar para suportar as dificuldades do campo e as que o torcedor impõe", afirmou o zagueiro David Braz em entrevista coletiva.

Além desses compromissos mais recentes, o estádio de propriedade do Quilmes já foi utilizado outras vezes pelo Estudiantes, o que incluiu a sua vitoriosa campanha no Torneio Apertura da Argentina em 2010 e também a disputa do seu jogo como mandante na Recopa Sul-Americana do mesmo ano, vencida pela LDU. O Centenário de Quilmes possui capacidade para cerca de 30 mil torcedores, sendo considerado um "caldeirão". Agora, então, receberá um confronto que valerá a dianteira do Grupo F da Libertadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.