Albert Gea / Reuters
Albert Gea / Reuters

Estudo aponta que perdas do futebol espanhol na pandemia podem chegar a R$ 6,95 bilhões

Clubes reduziram gastos e tiveram atuação mais tímida no mercado de transferências para lidar com prejuízos

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2021 | 12h14

Um estudo feito pela empresa de auditorias financeiras a pedido da LaLiga, que organiza as duas primeiras divisões do Campeonato Espanhol, apontou que as perdas financeiras dos 40 times desses torneios por conta da pandemia de covid-19 pode variar de 825 milhões de euros (R$5,5 bilhões) a 1,029 bilhão de euros (R$ 6,95 bilhões).

A pesquisa levou em conta a arrecadação das equipes, tanto com o mercado da bola quanto o impacto em lucros vindos de outras fontes, como marketing, publicidade, vendas de produtos licenciados e vendas de ingressos - esta última, zerada durante a parte final da temporada 2019-20 e na maior parte da temporada 2020-21.

O estudo traça dois cenários: em um mais otimista, no qual os torcedores retornariam aos estádios no quarto final das competições, o impacto mínimo seria o de 825 milhões de euros; no mais pessimista (e realista), no qual os fãs seguem fora das arenas, as perdas chegariam a 1,029 bilhão de euros.

Como consequência, os clubes foram obrigados a gastar muito menos: o estudo estima que os clubes reduziram seus gastos em 748 milhões de euros (R$ 5,05 bilhões) nas temporadas de 2019-20 e 2020-21. O mercado de transferências foi onde os clubes mais economizaram, tendo reduzido os gastos nesta área em 67%, ou seja a dois terços do que vinham gastando antes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.