Estudo diz que paixão pelo futebol aumenta risco de enfarte

Trabalho realizado durante a Copa de 2006 mostra que jogos alteram o ritmo cardíaco dos torcedores

Efe,

22 de janeiro de 2008 | 13h09

A paixão pelo futebol acelera o risco de enfarte, afirma um estudo realizado durante a Copa do Mundo de 2006, na Alemanha. O "estresse emocional" gerado pelos jogos de futebol pode alterar o ritmo cardíaco e provocar inclusive um enfarte, diz o estudo da Clínica Universitária de Munique-Grosshadern. O relatório foi elaborado a partir dos protocolos médicos de 24 pontos de emergência médica distribuídos por Munique. O evento escolhido foi o Mundial, considerado uma "extraordinária oportunidade" de tirar conclusões estatísticas fidedignas, por causa da alta concentração de encontros e torcedores em um espaço de tempo relativamente curto. O estudo tem como título "Mais enfartes durante a Copa de 2006?" e seus detalhes serão apresentados em Munique no dia 31 de janeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
EnfarteCopa do Mundo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.