Estudo inocenta árbitro no impedimento

Uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira, no British Medical Journal, sugere que os árbitros de futebol não conseguem marcar impedimentos com 100% de precisão. Segundo o estudo realizado médico espanhol Francisco Belda Maruenda, isso acontece simplesmente porque o processo de uma situação de impedimento é complicado demais para o cérebro e os olhos dos árbitros entenderem.A pesquisa analisou a fisiologia dos movimentos oculares envolvidos no processo de reconhecimento de um impedimento. De acordo com Maruenda, os árbitros e os assistentes em um jogo de futebol precisam monitorar pelo menos cinco objetos simultaneamente (a bola, o lançador e o receptor do passe e pelo menos dois defensores) para verificarem um caso de impedimento. Para o médico espanhol, o processo vai além da capacidade do olho humano, e os erros de julgamento são praticamente inevitáveis. Maruenda sugere uma mudança nas regras, permitindo, por exemplo, que imagens de TV sejam usadas para provar um impedimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.