Eto'o exige união e promete continuar na seleção

Depois da decepcionante campanha camaronesa na Copa do Mundo, o atacante Samuel Eto''o evitou procurar culpados pelas três derrotas na competição. Exigiu, no entanto, que a equipe esteja mais unida nos próximos anos. E prometeu continuar defendendo a seleção independentemente de quem seja o novo técnico - Paul Le Guen já anunciou que deixará o comando.

AE-AP, Agência Estado

25 de junho de 2010 | 08h00

"Estou pronto para continuar seja qual for o novo treinador", garantiu o atacante, decepcionado com a derrota para a Holanda por 2 a 1, na quinta-feira. "Mas não há razão para culpar ninguém em especial. Precisamos focar o futuro e não temos muito tempo para construir algo novo".

Principal destaque da equipe, o atacante da Inter de Milão também exigiu menos individualismo. "Todos precisam estar unidos neste projeto. O que aconteceu aqui (na Copa) não foi bom para a nossa gente, para o nosso time e nem para o nosso futebol", lamentou.

Eto''o ainda elogiou o técnico Le Guen, muito criticado até mesmo pelos próprios jogadores após a derrota para a Holanda. "Ele fez boas coisas. Sem Le Guen, provavelmente não estaríamos sequer na Copa do Mundo. É preciso lembrar isso", ponderou.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2010futebolCamarõesSamuel Eto'o

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.