'Eu não merecia ter sido xingado', diz Deola

Deola foi o grande nome do Palmeiras na derrota para o Fluminense por 2 a 1, ao fazer grandes defesas e impedir até mesmo uma goleada. Mas, como um eventual tropeço do time carioca favoreceria o Corinthians, o goleiro foi hostilizado pela própria torcida palmeirense, que chegou a jogar copos de água em sua direção.

AE, Agência Estado

29 de novembro de 2010 | 15h21

Chateado com o comportamento dos torcedores, Deola comentou que deveria receber um tratamento melhor. "Eu não merecia ter sido xingado. Não quero acreditar que isso foi direcionado a mim, mas sim apenas em razão da situação do jogo e da rivalidade entre os times", afirmou o goleiro, que está no clube há mais de uma década.

"Estou no clube há 11 anos e iniciando uma trajetória que tem de tudo para ser bonita no gol do Palmeiras. Espero, de coração, pensar que isso tenha sido um caso isolado e que os milhões de palmeirenses não pensem dessa maneira", acrescentou o goleiro.

Sobre a derrota para o Fluminense, Deola negou que o Palmeiras tenha entregado a partida. "Ninguém pode falar em corpo mole, muito pelo contrário. Nós enfrentamos o líder do campeonato, um time que tem um poder ofensivo fantástico. Abrimos o placar, mas fomos dominamos. Posso dizer que tivemos dignidade", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.