Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Peter Foley/EFE
Peter Foley/EFE

EUA, Canadá e México defendem antecipação da definição sobre sede da Copa de 2026

Os três países apresentaram candidatura tripla para sediarem o primeiro mundial com 48 seleções

Estadao Conteudo

11 de abril de 2017 | 10h34

A candidatura conjunta de Estados Unidos, Canadá e Estados Unidos para sediar a Copa do Mundo de 2026 pediu à Fifa que adiante para junho de 2018 a sua decisão sobre quem organizará o torneio, dois anos antes do previsto.

As federações de futebol dos Estados Unidos, México e Canadá pediram em uma carta, a que teve acesso a agência de notícias The Associated Press, que a organização leve em conta o pedido no seu congresso do próximo mês no Bahrein.

A candidatura foi apresentada na última segunda-feira em Nova York e é, até agora, a única opção realista para as 211 federações da Fifa, que está prevista parra definir a sede em maio de 2010. Este calendário pode ser acelerado na reunião de 11 de maio, em Manama.

Os três países propuseram a inclusão de um novo item na agenda do encontro no Bahrein para que os membros da Fifa possam tomar uma "decisão preliminar" para que o torneio de 2026 seja "organizado de modo conjunto e cooperativo" na América do Norte.

Se isso for aprovado, a Fifa poderia convidar os candidatos para demonstrar a cumprimento de todos os requisitos técnicos. Isso daria espaço para preparar uma confirmação dos anfitriões de 2026 no congresso seguinte da organização, que será realizado em Moscou. A capital da Rússia organizará a reunião anual na véspera do primeiro jogo da Copa do Mundo de 2018.

As regras da Fifa sobre as candidaturas tornam a oferta da América do Norte a grande favorita, porque a Europa e a Ásia não podem disputar o processo. Estes continentes estão vetados porque vão sediar as duas edições anteriores da Copa do Mundo, na Rússia, em 2018, e no Catar, em 2022.

Países da América do Sul e África podem competir com a proposta da América do Norte, embora a Argentina e o Uruguai, que foi o anfitrião da primeira Copa do Mundo, em 1930, estão focados em um torneio centenário em 2030. Considera-se que a África carece de instalações, mesmo para uma proposta conjunta que lhe permita organizar um torneio expandido para 48 seleções, o que aumenta as demandas sobre estádios, campos de treinamento, hotéis e transporte.

"No caso da candidatura cooperativa não cumprir os requisitos técnicos, o processo de candidatura se reabriria a todas as federações segundo as condições apresentadas pelo Conselho da Fifa", indicou, em sua carta, os representantes dos países da América do Norte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.