Euforia preocupa Geninho no Pacaembu

O The Strongest será apenas um ?sparring? do Corinthians, nesta terça-feira, às 19h10, no Pacaembu? Os torcedores acham que sim e a mídia dá amplo favoritismo ao time brasileiro. É justamente esse clima de "já ganhou" que preocupa o técnico Geninho, mais até do que o próprio adversário. Afinal, a partida tem vital importância para os brasileiros. Uma vitória deixará a equipe bem perto das oitavas-de-final da Copa Libertadores da América, a prioridade do clube na temporada.O Corinthians tem 6 pontos em dois jogos e lidera o Grupo 8. Caso tenha sucesso nesta noite, dependerá apenas de mais um bom resultado em casa, contra o Fênix, para garantir vaga na fase seguinte. Não precisará, assim, preocupar-se com os jogos na altitude, diante do Cruz Azul, na Cidade do México, e contra o mesmo The Strongest, em La Paz.Geninho não admite um tropeço e, preocupado com a euforia do elenco após a boa vitória sobre o Palmeiras por 4 a 2, no sábado, vem pedindo a seus jogadores que não tirem os pés do chão. "Quero evitar o salto alto, sabemos que o time está evoluindo, crescendo, mas não podemos extrapolar, achar que a equipe é a melhor, é imbatível." Solicitou, ainda, que todos no Parque São Jorge esqueçam o triunfo diante do rival e ?proibiu? qualquer comentário sobre o São Paulo, adversário na final do Campeonato Paulista. "Na quarta-feira voltamos a falar do São Paulo."O técnico corintiano pede paciência à Fiel e avisa que o time não terá, diante dos bolivianos, a mesma facilidade que encontrou no clássico com o Palmeiras. "Não vamos ter os espaços que o Palmeiras deu, o The Strongest vai jogar bem mais fechado."Casa cheia? - Pela importância do confronto, a diretoria espera bom público, apesar de o horário não ser muito comum para futebol brasileiro. Não haverá transmissão por nenhuma emissora de tevê aberta, apenas pela Fox. Quem quiser assistir ao jogo das numeradas do Pacaembu terá de pagar R$ 35,00 e não mais R$ 25,00, como na estréia do time na competição continental. O aumento do preço ocorreu por solicitação do vice-presidente de Futebol corintiano, Antônio Roque Citadini, que ficou irritado com as vaias dos torcedores da numerada na partida contra o Cruz Azul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.