Euforia toma conta de Edmílson e Vágner

Com mais de 60 gols contabilizados em 2002, na categoria júnior, Vágner Love e Edmílson conquistaram o técnico Jair Picerni. Os dois atacantes marcaram na goleada por 5 a 1 sobre o União São João no último fim de semana e deverão ser confirmados para enfrentar o Sport, sábado, no Parque Antártica. A empolgação da dupla é tão grande que Edmílson fez as vezes do treinador, e praticamente escalou o amigo para atuar ao seu lado a partir de agora. ?Todos têm condições de jogar, mas com o Vágner me sinto muito melhor, mais à vontade. É um jogador moderno e inteligente." E também de ?advogado? do companheiro. ?Infelizmente, ele viveu momentos ruins quando surgiu aquela história de que estava com uma mulher na concentração durante a Copa São Paulo de Juniores. Ele soube dar a volta por cima rapidamente. Só acho que a vida particular de cada um é restrita. Todos têm o direito de fazer o que quiser. O Vágner é um cara jovem e está na idade para paquerar." Vágner, que confirmou ter recebido proposta de US$ 2 milhões de um clube da Rússia antes do Pan, não perdeu a chance de entregar o amigo. ?O apelido dele é Edmílson di Caprio. Dá para acreditar que ele se acha bonito? Em campo, está entrosado comigo. Crescemos juntos na base e tomara que possamos dar alegrias à torcida palmeirense." Picerni evita que a pressão da equipe recaia sobre os jovens. ?O grupo é um todo, que ainda está buscando a auto-afirmação. A vaga para a segunda fase não pode esconder nossos defeitos." Para enfrentar o Sport, o treinador não terá Magrão, que recebeu o terceiro cartão amarelo, e Gláuber, expulso contra o União. Para compensar, voltará Marcinho, que cumpriu quatro jogos de suspensão. Nesta segunda-feira, Márcio Trevisan, assessor de imprensa do clube, foi demitido. O jornalista Olivério Júnior ocupará a vaga.

Agencia Estado,

25 de agosto de 2003 | 20h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.