Eurico acusa Dias e Althoff no MP

O Protocolo do Ministério Público Federal recebeu duas representações feitas pelo deputado Eurico Miranda (PPB-RJ). A primeira (PGR/0035/2001) é contra o presidente da CPI do Futebol, senador Álvaro Dias (PSDB-PR). E a segunda (PGR/0036/2001) é contra o relator da mesma comissão, senador Geraldo Althoff (PFL-SC). Ambos teriam divulgado à imprensa informações sigilosas relativas ao patrimônio do presidente do Vasco.Eurico Miranda reclama que Álvaro Dias "tem-se permitido efetuar declarações aos órgãos de imprensa dando precisas informações sobre o patrimônio pessoal", contidas na declaração de Imposto de Renda do presidente do Vasco. "O sr. Senador Álvaro Dias obteve acesso a documentos objeto de sigilo constitucional, sem a observância da lei", justifica o deputado carioca. Ele ainda lamenta que o presidente da CPI "oferece à opinião pública opinião pessoal, decorrente do exame que fez das declarações de Imposto de Renda".Outra reclamação do deputado é que o senador Geraldo Althoff tem buscado notoriedade pessoal, por ser o "divulgador de todos os documentos" relativos ao sigilo fiscal de Eurico. Segundo o protocolo, o relator da CPI "viola o sigilo fiscal não apenas do requerente, como do sr. Reinaldo Pitta (empresário do futebol)?.Para Eurico Miranda, os fatos constituem "conduta da maior gravidade." Na petição, o presidente do Vasco conclui que as CPIs "estão se transformando num palanque eleitoral para alguns de seus integrantes, comitês de devassa destinados a solapar reputações e conduzindo homens que exercem cargos relevantes no Poder Legislativo a operar prejuízos e condenações antecipadas".Resposta - O relator da CPI do Futebol, senador Geraldo Althoff (PFL- SC), considerou natural a atitude do deputado Eurico Miranda (PPB-RJ). "Nós estamos fazendo uma ação de investigação. É natural que toda ação corresponda uma reação", avaliou o parlamentar.O senador disse ainda que já esperava uma reação do dirigente vascaíno, mas faz uma advertência. "Se o deputado Eurico Miranda acha que fomos nós que colocamos a público detalhes sobre suas declarações, ele que prove", reagiu Althoff.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.