Eurico depõe na CPI nesta terça-feira

Os senadores que integram a CPI do Futebol vão tomar, às 14 horas desta terça-feira, o depoimento do presidente do Vasco, o deputado federal Eurico Miranda (PPB-RJ) - acusado de falsidade ideológica, sonegação fiscal, crime eleitoral, quebra de decoro parlamentar, apropriação indébita, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. A CPI já apresentou à presidência da Câmara e ao Ministério Público Federal três representações contra o deputado. Por ser parlamentar, Eurico tem o direito de escolher o local do depoimento e acabou optando por ser ouvido em seu gabinete na Câmara, o que obrigou os senadores a rever os planos. Diante da impossibilidade de todos os integrantes da CPI participar da inquirição, um grupo de três senadores e dois assessores foi destacado para fazer perguntas a Eurico, a exemplo do que já tinha ocorrido no depoimento do senador Jader Barbalho (PMDB-PA) para o Conselho de Ética do Senado.A CPI do Senado já possui um extenso material contra Eurico. Uma das denúncias é a de enriquecimento ilícito e apropriação indébita de recursos do Vasco para pagamento de contas pessoais. Os desvios foram feitos pelo "laranja" Aremithas José de Lima, funcionário do clube que já depôs para os senadores. Pesam ainda contra o deputado suspeitas de não ter incluído na declaração de Imposto de Renda todos os bens que possui, deixando de fora um apartamento em Miami e uma casa em Angra dos Reis. Há, ainda, indícios de evasão de divisas e lavagem de dinheiro.A vida parlamentar de Eurico também será alvo de questionamento dos senadores. De acordo com um dos assessores da comissão, a declaração de doações recebidas pelo deputado durante a campanha eleitoral não condiz com a contabilidade apresentada, havendo uma diferença de aproximadamente R$ 500 mil a menos entre o declarado e o recebido. Por fim, os senadores vão indagar as razões que levaram Eurico a ameaçar os funcionários da CPI que foram ao Rio de Janeiro recolher documentos fiscais e contábeis na sede do Vasco.As brigas de Eurico com a CPI do Futebol tiveram início no ano passado, quando passou a ser cogitada a possibilidade de convocar o então vice-presidente do Vasco para depor. Eurico chegou a dizer que não iria e desdenhou o quanto pôde do trabalho dos senadores, mas acabou sendo forçado a prestar esclarecimentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.