Paulo Fernandes/Vasco
Paulo Fernandes/Vasco

Eurico lamenta clássico entre Vasco e Flamengo fora do Rio de Janeiro

Partida deste sábado será disputada no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda

O Estado de S.Paulo

23 Fevereiro 2017 | 20h18

O presidente Eurico Miranda veio a público nesta quinta-feira para lamentar a decisão de se jogar o clássico entre Vasco e Flamengo, pela semifinal da Taça Guanabara, fora do município do Rio de Janeiro. A partida, marcada para sábado, será disputada no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ).

"Não tenho nada contra Volta Redonda, mas um clássico Vasco e Flamengo tinha que ser jogado no Maracanã ou Engenhão", reclamou o dirigente vascaíno. Eurico criticou a postura da Polícia Militar, que desaprovou a realização da partida na capital, ao alegar que não teria efetivo suficiente para assegurar a segurança do jogo. Segundo a PM, o carnaval reduziria o número de policiais disponíveis para o clássico na capital.

"Para a nossa surpresa, o comando da Polícia Militar afirmou que não tinha condição de dar segurança para o jogo ser realizado no Engenhão. Diversas contradições, mas o argumento maior foi o fato de que tinha o carnaval. Eles disseram que podia fazer o jogo fora do município do Rio, o que levou ter condição em Volta Redonda", afirmou.

O presidente do Vasco disse que aceitou a transferência do jogo para Volta Redonda porque somente lá a PM garantiria a segurança do clássico. "Eu deixei e estou deixando bem claro que a responsabilidade da segurança dessa partida é exclusivamente da PM. Se não tivesse essa responsabilidade eu não aceitaria jogar em Volta Redonda."

Eurico aproveitou a entrevista coletiva desta quinta para pedir paz à torcida vascaína no jogo deste sábado. Tanto o Vasco quanto o Flamengo estão em campanha por paz no clássico em suas redes sociais.

"Nós, o Vasco, em particular, assumimos o compromisso de fazer uma campanha junto ao torcedor para que não tivesse briga dentro de campo, no trajeto. Porque isso estava prejudicando o clube e, inclusive, sendo passível de algumas sanções. Fiz o apelo e estou tornando público de que queremos paz nas torcidas", reforçou o dirigente.

Questionado sobre o jogo e a rivalidade com o Flamengo, Eurico negou qualquer favoritismo do adversário e lembrou a recente sequência invicta do Vasco contra o rubro-negro - são nove jogos sem derrotas.

"Isso é um problema que o Flamengo tem que resolver. Se ele vai conseguir acabar com essa série de derrotas, empates e não vitórias com o Vasco. A responsabilidade desse jogo é muito mais do Flamengo do que do Vasco", provocou o presidente vascaíno.

"Como vocês da imprensa falam, o Flamengo é o grande favorito. Veremos. Nessas nove partidas, na maioria delas, o Vasco não era favorito. Vasco e Flamengo é sempre Vasco e Flamengo. Vasco e Flamengo com a minha participação é sempre um problema complicado para o outro lado", declarou.

A semifinal entre Vasco e Flamengo está marcada para as 17 horas deste sábado, em Volta Redonda. O duelo vale vaga na decisão da Taça Guanabara, que é o primeiro turno do Campeonato Carioca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.