Kai Pfaffenbach / Reuters
Kai Pfaffenbach / Reuters

Eurocopa e Copa América são adiadas para 2021 em função da pandemia do novo coronavírus

Principais competições de seleções seriam disputadas neste ano, mas sofreram alteração de data em razão do vírus

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2020 | 10h10
Atualizado 17 de março de 2020 | 12h19

A próxima edição da Eurocopa  e da Copa América serão disputada apenas em 2021. Nesta terça-feira, a Uefa anunciou o adiamento em um ano do torneio europeu de seleções, em função da pandemia de coronavírus. A Conmebol, entidade que organiza o futebol sul-americano, também definiu pela suspensão de seu torneio de seleções para o ano que vem. O Brasil defenderia o título. 

A Eurocopa agora ocorrerá de 11 de junho a 11 de julho de 2021, portanto, com atraso de um ano. Essa foi a proposta apresentada pela Uefa na reunião de emergência realizada através de uma teleconferência com suas 55 federações nacionais e que ainda precisa do aval do seu comitê executivo. Mas a decisão já está tomada. Não há a mínima condição de realizar uma partida de futebol na Europa.

"A saúde dos envolvidos no esporte é prioridade, assim como evitar colocar pressão desnecessária nos serviços públicos envolvidos nos jogos. O movimento irá ajudar todas as competições domésticas, atualmente paradas pela emergência do COVID-19, a serem completadas", diz o comunicado divulgado pela Uefa.

Anteriormente, a Eurocopa estava programada para começar em 12 de junho, sendo disputada em 12 países diferentes pela primeira vez em sua história. O adiamento se tornou a opção preferida pela Uefa desde semana passada, especialmente depois de cancelar os jogos dos torneios nacionais, além das partidas da Liga dos Campeões e  Liga Europa, todas paralisadas por causa do novo coronavírus. A conclusão das ligas nacionais permitiriam a definição dos campeões e também dos times classificados para as próximas Liga dos Campeões e Liga Europa. Dessa forma, até o Mundial de Clubes da Fifa está ameaçado por falta de equipes credenciadas.

Dezesseis membros da Uefa estão envolvidos na repescagem da Eurocopa, programadas inicialmente para serem jogadas em 26 e 31 de março. Eles decidirão os últimos quatro classificados ao torneio de 24 seleções. A remarcação da Eurocopa para junho de 2021 causará conflito com outros torneios previstos no calendário. Um deles é outra competição da própria Uefa, a Liga das Nações, com suas finais agendadas para o mesmo período. Mas a principal é a primeira edição do reformulado Mundial de Clubes, com 24 times e agendado para a China. As Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, incluindo a disputa da Europa, também possuem jogos marcados para junho de 2021.

Com a liberação de algumas semanas do calendário e se for possível retomar a temporada em breve (estima-se maio), as opções da Uefa para completar suas competições incluem jogar as quartas de final e semifinais da Liga dos Campeões em jogos únicos, ao invés dos confrontos de ida e volta. A decisão está agendada para 30 de maio em Istambul, mas a cidade turca também pode ser convidada a sediar as semifinais em um mini-torneio em data posterior.

SUL-AMÉRICA

A Copa América seria realizada entre os dias 12 de junho e 12 de julho na Argentina e na Colômbia, mas a Conmebol decidiu adiar a competição para o ano que vem, no mesmo período do ano. A tendência é que a entidade confirme a alteração a qualquer momento e com a decisão, a Copa Libertadores deste ano, paralisada em razão do coronavírus, ganha novas datas para ser realizadas quando a pandemia acabar. Isso também abre datas no calendário para os torneios de futebol no Brasil.

OLIMPÍADA

As decisões da Uefa e da Conmebol colocam mais pressão no COI e nos organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio no que diz respeito à sustentar ou não a disputa no Japão. Os eventos remarcados do futebol ocorreriam em junho. Os Jogos estão marcados para o fim de julho.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolEurocopa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.