Europa diminui assédio à dupla santista

O centroavante Ricardo Oliveira está no Valência e o Mallorca tenta levar o atacante Nenê, enquanto o turco Fenerbahçe tentou mas não conseguiu tirar o zagueiro Alex da Vila Belmiro. Desta vez, a dupla Diego-Robinho ficou de fora do noticiário de negociações e a tendência é de que permaneçam no Santos pelo menos até o final do ano, enquanto jogadores de outros clubes estão viajando com destino à Europa. "Recebo todo dia três ou quatro ligações de empresários, mas proposta concreta de algum clube europeu ainda não surgiu", disse o diretor de futebol, Francisco Lopes.Os dirigentes santistas sempre dizem que as duas maiores estrelas do clube não estão à venda, posição que pode ser reconsiderada com uma boa quantia em (milhões) dólares. Como o time não tem mais chances de disputar o mundial no Japão, depois da derrota para o Boca Juniors na Libertadores da América, a manutenção de jogadores top de linha no elenco pode ser discutida a qualquer momento.Para Dejair Silveira da Cunha, pai e procurador de Diego, houve interesse de times europeus pelo meia, "mas agora o futebol da Europa está quieto". Ele acha que o mercado mudou muito e que cifras pagas no passado atualmente são impensáveis. "Uma negociação de 15 ou 20 milhões de dólares está fora da realidade", disse ele, acreditando que o valor de jogadores é de US$ 12 milhões, no máximo. "Os clubes estão sem dinheiro e querem fazer parcerias para a aquisição de jogadores renomados", completou, mostrando uma tendência adotada pelos times para fugir das fortunas que foram pagas até recentemente, dividindo assim o lucro ou o prejuízo obtido na transação.Falar em valores é proibido na Vila Belmiro, mas o clube pode começar a conversar a partir da cifra de US$ 15 milhões para as duas mais badaladas revelações do ano passado. Entretanto, não há pressa em negociá-los e a intenção dos dirigentes é esperar uma valorização ainda maior para os dois jovens atletas.Alheios - Robinho e Diego não se envolvem nesse tipo de conversa e sempre dizem que esperam ficar mais tempo na Vila Belmiro para adquirir maior experiência. Eles têm contrato até 2005 com o Santos e há uma pesada multa contratual para o caso de rescisão, justamente o dinheiro que o clube ganhará pela revelação dessas que são suas duas maiores estrelas. "Não sei se o momento oportuno da saída de Diego é agora, mas ela acontecerá na hora certa", concluiu Dejair Silveira da Cunha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.