Europa interfere nos horários da Copa 2014

Interesses das redes de tevê do continente têm influência direta na programação dos jogos

Jamil Chade, O Estado de S. Paulo

29 de setembro de 2012 | 15h43

ZURIQUE - O presidente da Uefa, Michel Platini, confirma que a decisão sobre os horários de jogos na Copa de 2014 também levou em consideração os interesses das televisões europeias. Nesta sexta, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, chegou a levantar a possibilidade de "interromper" jogos se o calor fosse exagerado, enquanto o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, garantia que aspectos comerciais jamais estão acima da saúde dos jogadores.

Há dois dias, a Fifa anunciou os horários dos jogos no Brasil. Cidades como Brasília, Natal, Recife e Fortaleza terão partidas às 13 horas, no momento mais quente do dia. Questionado pelo Estado sobre qual teria sido o motivo desses horários, Platini não hesitou. "São as tevês europeias", disse.

Pela tabela divulgada pela Fifa, a maioria dos jogos ocorrerá em horários nobres para a tevê na Europa, variando de seis da tarde a dez da noite. Platini emendou que não via riscos para a saúde dos jogadores. "Não há problemas."Mas completou: "om a condição de que as equipes estejam preparadas para isso e montem um programa pensando nisso. O ex-craque lembrou que, em 1986, jogou às 11 horas no México na Copa.

 

IRRITAÇÃO

Na cúpula da Fifa, a sequência de perguntas da imprensa brasileira sobre os horários de jogos durante a coletiva de imprensa deixou Valcke irritado. "Tudo que fazemos não está certo", se queixou. "O programa está errado, o horário está errado. Não consigo nem imaginar como é que se pode pensar que estamos tomando decisões pensando nas tevês e não na saúde dos jogadores", disse Valcke. "Todas as decisões são tomadas levando em conta a saúde do jogador."

Joseph Blatter, presidente da Fifa, ainda levantou a possibilidade de que, em casos extremos, um jogo seja interrompido. "Em condições difíceis, se está muito quente, então podemos parar o jogo, interromper o jogo, tomar bebidas", insistiu. Valcke ainda culpou os organizadores brasileiros pela decisão de fazer as seleções viajarem pelo Brasil.

"Temos de levar os times pelo País, porque foi uma decisão de que levaríamos os times pelo Brasil para que todos os brasileiros desfrutassem a Alemanha, Inglaterra, Itália e qualquer um dos melhores e não apenas parte da Copa", disse Valcke. "O Brasil é um continente e que pode ter ao mesmo tempo 24 e 2 graus no mesmo dia em duas cidades", disse. "Não temos muita escolha."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.