Europeus se negam a jogar Mundial de Clubes

Os principais clubes europeus resolveram que não irão disputar o Mundial que a Fifa pretende organizar em 2005, no Japão. A decisão foi tomada nesta terça-feira, em reunião do G-14, entidade que reúne as 18 maiores equipes do continente.Depois da primeira edição, vencida pelo Corinthians, em 2001, no Brasil, o Mundial de Clubes sofreu seguidos adiamentos. Mas, no mês passado, a Fifa decidiu reativá-lo. O torneio, agora com apenas 6 equipes, seria disputado em dezembro de 2005, no Japão, e substituiria a Copa Intercontinental, que é realizada há mais de 40 anos e reúne os campeões europeus e sul-americanos.Logo vieram as primeiras reclamações. A Conmebol, entidade que reúne os países sul-americanos, disse ser contra esse novo formato, pois não quer o fim da Copa Intercontinental. Agora, o Mundial da Fifa sofre mais um duro golpe.Segundo afirmou nesta terça-feira o alemão Karl-Heinz Rummenigge, vice-presidente do Bayern de Munique, após participar da reunião do G-14 na Espanha, os clubes europeus ?estão satisfeitos com as atuais competições e não querem inchar ainda mais o calendário?. Assim, ele garantiu que nenhum integrante do grupo irá disputar o torneio da Fifa. ?Nos negamos a jogar o Mundial e nossa decisão é definitiva.?Dinheiro - Os clubes europeus também aproveitaram a reunião para fazer outra reivindicação. Pedem compensação financeira cada vez que cederem jogadores às seleções nacionais.Os integrantes do G-14 lamentaram que nem a Fifa e nem a Uefa se manifestaram até agora sobre essa reivindicação sobre a compensação financeira nas convocações e cobram uma posição até o começo da Eurocopa, junho, em Portugal.A elite - Os clubes que formam o G-14 são Real Madrid, Barcelona, Valencia, Milan, Juventus, Inter de Milão, Bayern de Munique, Bayer Leverkusen, Borussia Dortmund, Liverpool, Arsenal, Manchester United, Lyon, Olympique de Marselha, Paris Saint-Germain, Ajax, PSV Eindhoven e Porto.

Agencia Estado,

16 de março de 2004 | 10h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.